Crónica – SL Benfica vs SC Braga: “guerreiros” endiabrados agravam crise encarnada

Foi com uma urgente necessidade de encurtar distâncias para o Sporting que os comandados de Jorge Jesus receberam o Braga de Carlos Carvalhal no Estádio da Luz.

Depois da derrota embaraçosa no Bessa e do empate sofrido frente ao Rangers, as “águias” precisavam de voltar ao caminho das vitórias, principalmente depois  de FC Porto e Sporting terem assegurado os três pontos nesta jornada.

No entanto, apesar da superioridade na posse de bola e da pressão exercida, o SL Benfica não conseguia criar oportunidades claras de golo em jogo organizado. O melhor que os “encarnados” conseguiram fazer na primeira parte foi o remate acrobático de Vertonghen para  defesa complicada de Matheus.

Face a uma muralha defensiva bem organizada, a falta de criatividade do clube de Lisboa era gritante, algo que acabaria por sair caro.

Os minhotos aos poucos foram empurrando o Benfica para o seu meio-campo, ameaçando os “encarnados” através de transições ofensivas rápidas. Depois de um primeiro aviso de Galeno, os bracarenses aproveitaram um mau pontapé de baliza de Vlachodimos e Iuri Medeiros inaugurou o marcador aos 38 minutos.

As equipas foram para o intervalo num contexto diferente daquele que se viu durante a primeira meia hora do encontro. Um Benfica sem capacidade de organizar um esquema ofensivo prático face a um adversário feroz nos contra-ataques e inteligente na forma como abordava o jogo.

Esta tendência só se intensificou no segundo tempo. Jesus tirou Samaris e Everton e fez entrar Gabriel e Seferovic mas o poderio atacante da equipa da casa não aumentou como o técnico esperaria no imediato.

Perante a capacidade estonteante do rival direto em encontrar espaços na sua defesa, acabou por ser o Braga a explorar a passividade da defensiva encarnada.

Francisco Moura bisou no encontro e colocou os visitantes mais próximos do pódio do campeonato, primeiro aos 50 minutos e depois aos 63, em que não desperdiçou a saída em falso de Vlachodimos, resultante da falta de comunicação entre o guarda-redes e Otamendi.

3-0 com pouco menos de 20 minutos para o final do jogo e ninguém acreditava que o Benfica fosse capaz de responder à altura do desafio.

No entanto, por pouco que os jogadores orientados por Jorge Jesus repetiram a recuperação do jogo da Liga Europa na última quinta-feira.

O bombardeamento constante à baliza minhota permitiu a Seferovic bisar e devolver a esperança aos benfiquistas que ansiavam ainda com um empate para reduzir o estrago causado na classificação.

Mas, até final, os “guerreiros” aguentaram a pressão do segundo classificado da liga e saíram do Estádio da Luz com uma vitória surpreendente.

A grande exibição dos “bracarenses” fez com que alcançassem o Benfica no segundo lugar na tabela classificativa, recuperando assim a confiança perdida na goleada sofrida contra o Leicester.

Depois de um começo de época a todo o gás, o Benfica encontra-se sem ganhar há três jogos consecutivos, com 9 golos sofridos na totalidade.

Uma crise inaceitável, resultante dos erros de principiante, passividade defensiva e falta de criatividade no ataque. O excesso de confiança transformou-se em receio, estando agora a 4 pontos do líder e apenas 2 à frente do FC Porto.

Fonte da imagem: SC Braga Twitter/@SCBragaOficial