Opinião: O Ferrari passou a Renault 3?

É de conhecimento geral que o Benfica, (ou o Ferrari que JJ apregoa), não tem tido um rendimento aceitável para aquilo que é a equipa formada para esta temporada.

Qual é o meu espanto quando em três jogos seguidos, o Ferrari, apanhou “nove furos”. Estamos a retroceder, como dizem os sábios, “a passar de cavalo para burro”, de Ferrari para Renault 3. Renault 3 porque cada jogo disputado pelo Benfica, dos últimos três, quantos golos levaram? Exatamente, três.

O meio campo dos encarnados, lá se vai aguentando. Mal mas vai. Lembram-se dos tempos em que havia um Fejsa em forma, que segurava o meio campo sozinho, se fosse preciso? Pois, neste momento falta uma reencarnação do sérvio para o mesmo voltar aos eixos. Deixo aqui já a ideia, uma vez que o mestre das adaptações está ao leme do Benfica, porque não adaptar o Gabriel a um treino de sprint? Pode ser que assim o jogador brasileiro se comece a ter mais ritmo e ganhe vontade a vontade de correr, que parece ter perdido.

Contudo o problema não está só aqui, falemos da defesa. Já que dei a ideia de uma adaptação para o meio-campo, deixo aqui uma outra para a defesa. Mister JJ, na minha opinião devíamos adaptar o Otamendi a uma posição que não a de jogador de campo. O que me diz? Podemos sempre usar o menino, aquele que está lesionado mister, o Todibo. Talvez se ameaçar o Otamendi com a sua substituição pelo miúdo, ele comece a jogar realmente pelo Benfica.

Espero que esta “pausa” para as Seleções, refresque e faça renascer a mística que o Benfica perdeu em três jogos. É triste dizer isto, mas é verdade.

Vamos ver se no próximo jogo a contar para a Taça de Portugal, contra o Paredes, se os jogadores entram de Ferrari ou se preferem passar de Renault 3, a bicicleta.

 

Fonte da imagem: Twitter Planeta do Futebol

Emanuel Brasil

Nasci na cidade mais alta de Portugal e foi aqui que comecei a dar os primeiros toques no mundo da bola e a acompanhar os mesmos com a escrita que dá brilho ao jogo fora das quatro linhas. Com a bola de um lado e a caneta do outro, acabei por me licenciar em Ciências da Comunicação na UBI e onde tiro agora, o mestrado em jornalismo.