Arrasado por adeptos e imprensa, Carlos Queiroz poderá estar de saída

Técnico português vive tempos difíceis ao leme da seleção colombiana. Ao todo, a equipa soma apenas quatro pontos (uma vitória, um empate e duas derrotas) em 12 possíveis na qualificação para o Mundial de 2022.

Depois de, na sexta-feira, ter visto os seus pupilos serem derrotados por 0-3 frente ao Uruguai (com um golo de Darwin Núñez), Carlos Queiroz voltou a não conseguir evitar nova goleada na noite de ontem, desta vez contra o Equador por 6-1, (Gonzalo Plata apontou um golaço e foi expulso pelos festejos) sendo esta a pior derrota da Colômbia nos últimos 43 anos.

No rescaldo deste jogo, o antigo selecionador nacional assumiu a culpa pelos desaires, mas deixou a promessa de melhorar no futuro: “Estes dois resultados foram duros, a nossa seleção não merecia nada disto mas eu é que sou responsável. Estou certo de que podemos mudar isto nos próximos jogos. Vamos ganhar mais partidas e chegar ao Mundial. Pedimos aos adeptos tolerância e compreensão. Eles merecem mais e de certeza que no futuro vamos ganhar os jogos que precisarmos.”

Com algum secretismo, deu também a entender que existem alguns problemas que ainda não vieram a público: “As variações das últimas duas semanas é algo de que não se pode falar. Não é a melhor altura. Há que aceitar que o Equador foi melhor. Marcaram-nos golos em situações consentidas por nós. Agora há que levantar a cabeça.”

Indiferentes às palavras do treinador, muitos adeptos e até a própria comunicação social dirigiram-lhe fortes críticas, exigindo a demissão imediata do mesmo. Contudo, caso a Federação Colombiana decida efetivamente avançar para o seu despedimento, este não será facilmente executado.

Em janeiro de 2019, o português assinou um contrato de quatro anos com a seleção sul-americana com um ordenado anual de cerca de 2,5 milhões de euros. Deste modo, ou a Direção chega a um acordo com o selecionador, ou este terá de receber uma indemnização de, aproximadamente, 5 milhões de euros (valor que ainda receberia se cumprisse o vínculo até ao fim).

Fora de campo, Carlos Queiroz também tem vindo a ser muito contestado por convocar Sebastián Villa, jogador do Boca Juniors (que também tem sido criticado por utilizar o atleta) acusado de violência doméstica pela ex-namorada.

 

Fonte da Imagem: Twitter @Carlos_Queiroz

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.