Itália, Bélgica, França e Espanha: eis os finalistas da Liga das Nações

A fase de grupos da Liga das Nações chegou finalmente ao fim e todas as decisões finais foram conhecidas. Itália, Bélgica, França e Espanha garantiram as quatro vagas da Final-Four da competição e vão disputar entre si a conquista do troféu. Ficaram-se a saber ainda as nações que desceram de divisão para a Liga B e as que conseguiram a promoção ao principal escalão da próxima edição da competição.

A última jornada da fase de grupos foi decisiva para a definição das classificações finais dos grupos, com muito em jogo para várias turmas. O grupo 3 foi o primeiro a fechar contas, uma vez que apenas estava por se definir quem, entre a Croácia e a Suécia, acabaria despromovida para a Liga B. A França, que confirmou o primeiro lugar do grupo na jornada anterior, recebeu a Suécia e venceu a partida por quatro a dois. Os suecos ainda começaram em vantagem, por intermédio de Claesson, mantendo o sonho da manutenção vivo, mas os gauleses não se mostraram interessados em terminar a sua prestação na fase de grupos com um desaire. Pavard e Giroud, por duas vezes, marcaram e, apesar de Quaison ainda ter dado um último suspiro de esperança à sua nação com um tento aos 88´, Coman fixou o quarto e último golo da seleção gaulesa na compensação dos noventa e confirmou a descida sueca à Liga B na próxima edição da Liga das Nações.

A Cróacia recebeu Portugal em Split, num encontro onde a equipa das Quinas apenas cumpriu calendário, uma vez que já se encontrava arredada de uma possível qualificação para a fase final. O jogo terminou com uma vitória lusa por três a dois, num jogo marcado por muitos erros defensivos de ambas as partes. Kovačić inaugurou a partida na passagem da meia hora de jogo e deu um início positivo à sua equipa, mas na segunda parte Marko Rog foi expulso por acumulação de amarelos, o que dificultou bastante a tarefa da sua equipa. Rúben Dias e João Félix, em momentos de aproveitamento luso às debilidades defensivas da seleção croata, protagonizaram a reviravolta no marcador, mas o médio croata do Chelsea voltou a estar em destaque aos 65´, empatando a partida numa altura de desconcentração da defensiva portuguesa. Rúben Dias, no entanto, foi o herói luso do dia e fixou o terceiro tento da seleção de Fernando Santos nos momentos finais da partida, confirmando o seu primeiro bis da carreira e uma vitória da sua seleção na despedida da Liga das Nações. Apesar da sua derrota, os croatas também puderam sorrir uma vez que, fruto do desaire da Suécia frente à França, asseguraram a manutenção na Liga A para a próxima edição da competição.

Fonte da imagem: Twitter @SLBenficaYouth

O Grupo 4 guardou uma gigante surpresa para a decisiva jornada. A Espanha recebeu a Alemanha num encontro determinante para a definição de quem prosseguiria à próxima fase. Ora, os nuestros hermanos não só venceram a seleção alemã, como aplicaram um autêntico massacre à mesma, com o marcador a mostrar um pesadíssimo resultado de seis a zero no final do jogo, a maior derrota de sempre da Die Mannschaft em jogos oficiais. Morata foi quem fez primeiro o gosto ao pé com um tento aos 17´, seguindo-se Ferrán Torres e Rodri ainda antes do apito para o intervalo. Na segunda parte, Torres voltou a marcar por mais duas ocasiões, atingindo um marcante hat-trick na sua carreira frente a uma turma germânica que ainda haveria de sofrer um último golo nos instantes finais do jogo, por intermédio de Oyarzabal. Seis golos depois, a nação orientada por Joachim Löw saiu humilhada de Sevilha e assistiu a uma qualificação sem espinhas da La Roja para a próxima fase.

Quanto às contas da despromoção, que seriam disputadas entre a Ucrânia e a Suíça, o desfecho final ainda está por se conhecer, uma vez que o encontro entre ambas foi cancelado devido à existência de vários casos positivos de Covid-19 no plantel ucraniano. A situação será avaliada pelo Comité de Controlo, Ética e Disciplinar da UEFA, pelo que ambas as equipas ainda se mantém nos mesmos postos em que terminaram na jornada passada, com a Ucrânia no terceiro lugar com seis pontos e a Suíça no último posto com três pontos, enquanto aguardam a decisão final do organismo.

Fonte da imagem: Twitter @B24PT

No grupo 2, a Inglaterra venceu a despromovida Islândia num encontro que foi apenas para cumprir calendário para ambas as equipas, já que a seleção inglesa já sabia, à partida, que não tinha hipóteses de qualificação para a próxima fase. A turma de Southgate despediu-se da competição com uma goleada sobre a Islândia por quatro golos sem resposta, com Declan Rice e Mason Mount a marcarem um golo cada na primeira parte, seguidos por Phil Foden, que bisou no segundo tempo e estabeleceu os números finais da vitória da sua equipa.

A Bélgica, por sua vez, confirmou o apuramento para a fase final após um triunfo sobre a Dinamarca por quatro a dois. O encontro, que teve lugar em Bruxelas, começou ao rubro com de Bruyne a inaugurar o marcador logo aos três minutos de jogo. Aos 17´, Wind empatou o jogo e alimentou as aspirações dinamarquesas de uma eventual qualificação, mas a segunda parte traria um cenário diferente. Lukaku bisou na partida com tentos aos 57´e 69´e, apesar de Courtois ainda ter cometido um auto-golo a quatro minutos do fim, de Bruyne apontou o seu segundo golo na partida e confirmou os números de uma vitória que garantiu a presença da sua nação nas meias-finais da Liga das Nações.

Fonte da imagem: Twitter @geglobo

No grupo 1, a Holanda viajou até à Polónia e venceu a seleção polaca por dois a um. A turma holandesa ainda começou em desvantagem na partida, depois de Jozwiak ter marcado aos seis minutos de jogo, mas a reviravolta no marcador foi mesmo conseguida através de tentos por Depay, de grande penalidade aos 77´ e de Wijnaldum aos 84 minutos. A vitória holandesa, no entanto, não foi suficiente para que a nação se qualificasse para a fase final da competição. A Itália, enquanto a Holanda também se encontrava em campo, venceu a seleção da Bósnia e Herzegovina (já despromovida) por dois a zero. O encontro, que teve lugar em solo bósnio, foi de sentido único, com Belotti e Berardi a serem os protagonistas dos golos que garantiram os três pontos e o apuramento da Squadra Azzura para a próxima fase.

Fonte da imagem: Twitter @bolabangetidn

Desta forma, para além de se ter ficado a conhecer os três finalistas restantes da Final-Four da Liga das Nações, confirmou-se ainda que, para além da Islândia e da Bósnia e Herzogovina, também a Suécia irá competir na Liga B na próxima edição da competição. No segundo escalão, as seleções da Áustria, República Checa, Hungria e País de Gales terminaram no primeiro posto dos seus respetivos grupos e vão participar na Liga A na próxima edição do torneio.

Situação que envolve a Ucrânia e a Suíça à parte, a fase de grupos desta edição da Liga das Nações chegou ao seu fim, após seis jornadas que tiveram muitas estrelas em campo e muito futebol de qualidade para desfrutar. A Final-Four da Liga das Nações está prevista para ter lugar entre os dias seis e dez de outubro de 2021, com Itália, Bélgica, França e Espanha a serem os quatro candidatos a sucederem a Portugal como campeões da competição.

Fonte da imagem de capa: Twitter @OficialSala12

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.