As 5 cláusulas mais caricatas do futebol

Na rúbrica “curiosidades” desta semana, analisamos cinco cláusulas de contrato que são, no mínimo, caricatas. Na lista surgem nomes muito conhecidos. Fique a par desta curiosa lista:

    1. Ronaldinho Gaúcho: Sair à noite duas vezes por semana. Em 2011, o mágico Ronaldinho chegava ao Brasil, para representar o Flamengo, vindo do AC Milan. A qualidade ainda acompanhava os pés do número 80 do Milan, no entanto, a dieta e o estilo de vida tinham mudado certamente. Já perto do final de carreira, o brasileiro afirmou que só assinava com o Flamengo caso o clube o permitisse sair à noite pelo menos duas vezes por semana.

2. Dennis Bergkamp: Nada de aviões. O ponta de lança holandês, conhecido como The non-flying dutchman, foi um dos melhores jogadores da história do Arsenal. Apesar do seu nome estar nas páginas douradas do clube, o avançado não jogou diversos jogos por causa de um medo seu. Bergkamp tinha pavor a andar de avião, então, de modo a não ter que se sujeitar a esse medo, no seu contracto incluiu a cláusula de que, caso não houvesse outra a alternativa que não a aérea para ir a jogo, o avançado não era convocado e ficava em Inglaterra.

3. Giuseppe Reina: Uma casa por ano. Quando chegou ao Arminia Bielfield em 1996, o avançado alemão fez um pedido ousado. No seu contrato, propôs uma cláusula que, todos os anos em que tivesse contrato, o clube tinha que lhe construir uma casa. Sem especificações no contrato, sobre o tamanho ou a estrutura da casa, o clube prontamente aceitou e, todos os anos, construía uma casa de LEGO para o jogador. É caso para dizer que o tiro saiu pela culatra de Reina.

4. Stefan Schwarz: Proibido de ir ao espaço. Antes de chegar ao Sunderland em 1999, o médio demonstrava bastante interesse em ir ao espaço e abordava todos os temas relacionados com grande fascínio. A primeira viagem ao espaço com passageiros era expectada para 2002. Para evitar uma ida ao espaço do seu jogador, o Sunderland, em 1999, adicionou uma cláusula ao contrato do jogador que o impedia de viajar para o espaço.

 

 

5. Roberto Firmino: Todos menos o Arsenal. Em 2013, o Arsenal fez uma proposta pelo, naquela altura avançado do Liverpool, Luís Suarez. Os Reds recusaram e disseram que só aceitavam iniciar conversações por um valor superior a 40 milhões de libras; posto isto, os Gunners ofereceram 40.000.001 libras. A oferta foi recusada e encarada pela direção da equipa de Anfield como uma falta de respeito. Anos mais tarde, Roberto Firmino assinou pelo Liverpool e para evitar acontecimentos do passado, o clube adicionou uma cláusula de rescisão de 98 milhões de libras para todos os clubes, menos para o Arsenal, visto que o jogador estava proibido de ser vendido aos Gunners.

 

Fonte das imagens: Site oficial ESPN, Liverpool e do Arsenal.

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.