O mundo do futebol está de luto: Diego Armando Maradona morreu

Morreu umas das maiores lendas, senão a maior, que já pisou um relvado de futebol. Diego Armando Maradona, o emblemático El Pibe, faleceu vítima de uma paragem cardiorespiratória na sua casa em San Andrés, na Argentina.

A tarde desta quarta-feira, dia 25 de novembro, ficará para sempre conhecida como a data que marcou o fim da vida do lendário argentino, que contava com 60 anos e já enfrentava vários problemas de saúde nos últimos tempos. No início de novembro, Maradona foi internado de emergência devido a um hematoma na cabeça e encontrava-se a recuperar na sua residência na localidade de Tigre, mas uma nova complicação clínica relacionada com o seu coração acabou por se revelar fatal para o antigo jogador.

El Pibe sempre levou um estilo de vida polémico, com vários problemas relacionados com drogas a acompanharem o seu percurso, que dentro de campo, é um dos mais conceituados de sempre. A marca que deixou ao longo da sua carreira, principalmente em Nápoles e ao serviço da seleção argentina, com destaque para a conquista do Mundial 1986, competição onde Maradona protagonizou a imortal “Mão de Deus” frente à Inglaterra nas meias-finais e foi instrumental na final vencida pela albiceste frente à antiga nação da Alemanha Ocidental, ficará para sempre lembrada nos panteões do futebol mundial.

Diego Armando Maradona participou num total de 680 jogos na sua carreira, apontando 386 golos. Conquistou 11 troféus enquanto jogador, com destaque para um Campeonato do Mundo ao serviço da Argentina e dois Scudettos enquanto jogador de uma equipa do Nápoles que antes da sua chegada, não era um peso-pesado do futebol italiano.

Fonte da imagem de capa: plataformamedia.com

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.