Crónica: Empate arrancado a ferros na Escócia

Encarnados arrancaram o empate nos instantes finais da partida, repetindo a “dose” do primeiro jogo contra o Rangers na Luz. A equipa escocesa, mostrou superioridade ao longo dos 90 minutos deixando os encarnados muito apagados durante o embate, apenas ganhando força nos dez minutos finais. 

Um Benfica muito desfalcado apresentou-se em Glasgow, com novidades no onze, onde o técnico português Jorge Jesus deu a titularidade a Hélton Leite na baliza. Com uma fraca capacidade de controlar o Rangers no inicio da partida, foi cedo que as redes do novo titular da baliza encarnada abanaram.

Uma má abordagem de Rafa e Gilberto deixou o flanco direito totalmente aberto dando espaço a Morelos para combinar com Barisic, Hélton Leite ainda respondeu, com uma grande defesa vinda do cabeceamento de Roofe a cruzamento de Barisic, na recarga Tavarnier cravou a bola na trave e à terceira tentativa, Arfield só teve de encostar. A pouco e pouco o domínio da equipa escocesa foi esmorecendo, mas nunca deixou de estar presente. Contrariando a pressão  do Rangers, Seferovic e Everton iam tentando derrubar a defesa de Glasgow.

Contudo até ao fim dos primeiros 45 minutos, foi um jogo com pouco espetáculo, sem um Benfica capaz de se superiorizar e “agarrar no jogo” deixando a primeira parte entregue à equipa aos comandos de Gerard e levando o resultado em uma bola a zero para os britânicos.

No regresso dos balneários, a equipa encarnada não conseguiu mudar a mentalidade com que entrou na partida, deixando o Rangers jogar e fazer o seu futebol. Rafa tentava, sempre que podia, desequilibrar a defesa adversária com sprints rápidos mas sem qualquer tipo de concretização. Foram mais 30 minutos de futebol estático, com poucas oportunidades em ambos os lados do campo.

O Benfica cedia à pressão e ataques do Rangers, acabando mesmo por deixar ampliar a vantagem com um belo golo saído dos pés do jamaicano Roofe, com um grande remate indefensável para Hélton Leite. Jorge Jesus, que tinha mexido na equipa com a entrada de Diogo Gonçalves e Pizzi, via que as alterações pouco estavam a acrescentar ao jogo e lançou Gonçalo Ramos, para um maior desequilíbrio na defesa britânica, o que acabou por acontecer e deu origem ao golo dos encarnados pelos pés do jovem jogador, que rematou contra Tavernier e acabou por abanar as redes do Rangers, o que deu esperança às aguias para empatar.

Empate esse que acabou mesmo por acontecer, depois de vários momentos de um Benfica ao qual estamos acostumados, saí um ótimo remate dos pés de Pizzi que acaba por repor a igualdade na partida. No final do jogo ambas as equipas saem com mais um ponto, repetindo assim o empate do primeiro jogo, mostrando ainda que as dificuldades que os encarnados sentem podem ainda estar longe de acabar.

 

Fonte da imagem: Twitter B24

Emanuel Brasil

Nasci na cidade mais alta de Portugal e foi aqui que comecei a dar os primeiros toques no mundo da bola e a acompanhar os mesmos com a escrita que dá brilho ao jogo fora das quatro linhas. Com a bola de um lado e a caneta do outro, acabei por me licenciar em Ciências da Comunicação na UBI e onde tiro agora, o mestrado em jornalismo.