Curiosidades: as equipas mais portuguesas e as mais internacionais da Liga NOS

Largos vão os anos desde a última vez que vimos a maioria dos planteis profissionais em Portugal exclusivamente constituídos por jogadores portugueses. Tornou-se até banal encontrar mais atletas estrangeiros que portugueses nas formações dos emblemas lusos. Hoje olhamos, então, para o estado desta estatística no panorama atual. 

A “mais portuguesa”: SC Braga

De momento, é o Sporting Clube de Braga que possui a maior percentagem de portugueses no plantel. Num total de 32 atletas que já jogaram ou treinaram com Carlos Carvalhal, 21 são de origem lusa, o que se traduz em 65.6% do plantel, mais de 10% acima do segundo plantel mais português: o Sporting Clube de Portugal (54.3%).

A segunda nacionalidade mais representada na cidade dos arcebispos é a brasileira, com sete atletas oriundos do país sul americano.

Os “Gverreiros” do Minho são, então, a equipa “mais portuguesa” do campeonato nacional, este ano.

As “menos portuguesas”: CS Marítimo e FC Boavista

Olhando agora para o extremo oposto, vemos dois emblemas com percentagens idênticas de estrangeiros nos seus planteis: o CS Marítimo e o FC Boavista.

Com apenas seis atletas lusos cada (21.4% da totalidade dos planteis), os insulares e os portistas são as duas turmas com mais jogadores internacionais e, consequentemente, com menos portugueses a treinar/jogar na equipa principal. No caso do Marítimo, até o treinador (Milton Mendes) é estrangeiro.

Atrás deste dois surgem o CD Nacional e o Gil Vicente FC, com apenas mais um português cada (sete: 24.1%).

As “mais internacionais”: CD Nacional e Vitória SC

No que toca a diversidade de nacionalidades, no topo encontram-se CD Nacional e Vitória SC. Em ambas as equipas estão representados um total de 16 países diferentes, desde Portugal à Coreia do Sul, passando, por exemplo, por Curaçau.

Abaixo, com 15 nacionalidades distintas, encontra-se o FC Porto.

A “menos internacional”: SC Braga

Por sua vez, a equipa com menos variedade de nacionalidades é, novamente, o SC Braga, tendo apenas seis países diferentes representados no plantel (Portugal, Brasil, Argentina, Espanha, Rep. Checa e Líbia).

CD Santa Clara, Rio Ave FC e Portimonense SC são os três que sucedem aos minhotos nesta estatística, com sete nacionalidades diferentes nos respetivos planteis.

 

Confira, de seguida, as tabelas completas das estatísticas aqui apresentadas:

Percentagem de portugueses:

  1. SC Braga (65.6%);
  2. Sporting CP (54.3%);
  3. B SAD / CD Tondela (52%);
  4. FC Paços de Ferreira (48.4%);
  5. CD Santa Clara (44.4%);
  6. Rio Ave FC (40%);
  7. Moreirense FC (37%);
  8. FC Porto (36.7%);
  9. SL Benfica (36.1%);
  10. SC Farense (35.7%);
  11. FC Famalicão (27.6%);
  12. Portimonense SC (26.7%);
  13. Vitória SC (25.7%);
  14. CD Nacional / Gil Vicente FC (24.1%);
  15. Boavista FC / CS Marítimo (21.4%).

Nacionalidades diferentes:

  1. CD Nacional / Vitória SC (16);
  2. FC Porto (15);
  3. Boavista FC / SL Benfica (14);
  4. Sporting CP (13);
  5. CS Marítimo (12);
  6. FC Famalicão (11);
  7. CD Tondela (10);
  8. FC Paços de Ferreira / Gil Vicente FC / SC Farense (9);
  9. B SAD / Moreirense FC (8);
  10. CD Santa Clara / Rio Ave FC / Portimonense SC (7);
  11. SC Braga (6).

 

Um país diverso com pessoas distintas e a 1ª Liga, aparentemente, é prova disso mesmo.

 

Imagem: Clube Desportivo Nacional [www.cdnacional.pt] (Facebook)

Duarte Rosa

"Alfacinha" de gema, sportinguista de coração. Desde o clube à seleção nacional, o amor pela bola está presente desde cedo. A licenciar-se em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, esta paixão pela escrita e pelo futebol forma uma dupla interessante, que espera vir a agradar aos seus leitores.