SEF investiga clubes por auxílio à imigração ilegal e tráfico de seres humanos

Segundo avança o Jornal de Notícias, desde 2019, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) detetou 110 jogadores em situação irregular em Portugal, tendo, de momento, 40 inquéritos-crime em curso, envolvendo dirigentes, agentes e atletas de vários clubes do Campeonato de Portugal, bem como das provas distritais, por suspeitas de auxílios à imigração ilegal e de tráfico de seres humanos.

A explicação apresentada pela fonte ao jornal afirma que os atletas “em situação documental irregular” recebiam “contratos de trabalho fictícios em entidades patronais” para as quais acabavam por não trabalhar, desenvolvendo apenas a atividade futebolística.

Outros casos revelam, também, que alguns jogadores chegavam a Portugal apenas com visto de turismo, por forma a prestar provas nos clubes, mas acabavam por ficar a trabalhar nos clubes ou associações, sem regularizar a respetiva situação.

Quanto ao tráfico de seres humanos, este ocorre com menos frequência e sobretudo na Zona Centro do país. Nestes casos, os agentes desportivos prometem salários acima da média aos atletas, por forma a atrair estrangeiros. No entanto, uma vez chegados a Portugal, os jogadores acabam por receber salários abaixo do prometido, o que lhes impede de regularizar a situação.

 

Fonte da Imagem: Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (Facebook)

Duarte Rosa

"Alfacinha" de gema, sportinguista de coração. Desde o clube à seleção nacional, o amor pela bola está presente desde cedo. A licenciar-se em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, esta paixão pela escrita e pelo futebol forma uma dupla interessante, que espera vir a agradar aos seus leitores.