Sporting vence na Choupana por duas bolas a zero

O Sporting venceu o Nacional da Madeira por 2-0 com golos de Nuno Santos e Jovane Cabral. O jogo, que foi adiado ontem devido ao mau tempo que se fazia sentir no Funchal, foi reagendado para hoje, havendo melhores condições meteorológicas para a realização da partida. O campo, por outro lado, estava em condições bastante adversas, o que certamente dificultou o jogo para as duas equipas.

O Nacional apresentou o seguinte onze: Daniel Guimarães, Ruben Freitas, Lucas Kal, Júlio César, João Vigário; Nuno Borges, Azouni, Rúben Micael; Riascos, João Camacho e Róchez.

Já Rúben Amorim levou a campo Adán, Pedro Porro, Feddal, Coates, Luís Neto, Nuno Mendes; João Palhinha, João Mário; Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Sporar.

O jogo começou lento, com poucas oportunidades. Nos primeiros vinte minutos, apenas o Sporting registou remates e foram apenas dois.

A partir daí, o Sporting começou a impor a sua superioridade, sem deixar o Nacional criar qualquer perigo até ao intervalo. Essa mesma superioridade iria levar a equipa de Ruben Amorim a adiantar-se no marcador aos 42 minutos. Nuno Mendes cruza a bola para a área, Pote amortece o cruzamento e Nuno Santos aparece para encostar. 1-0 e os leões iam com vantagem para o intervalo.

A segunda parte foi ainda mais de sentido único. Os leões bombardearam completamente a baliza de Daniel Guimarães, tendo o guarda-redes da equipa madeirense evitado um resultado bem mais exacerbado. Acrescentando à boa exibição de Daniel Guimarães a falta de eficácia leonina e a dificuldade ofensiva do Nacional, o resultado foi uma segunda parte marcada pela dominância dos lisboetas e um golo ao cair do pano de Jovane Cabral.

O cabo-verdiano, que entrou aos 87 minutos para o lugar do marcador do primeiro golo, Nuno Santos, carimbou o resultado final na Choupana aos 90 minutos, depois de se antecipar ao adversário e corresponder na perfeição ao cruzamento de Tiago Tomás.

O Sporting continua imparável no primeiro lugar do campeonato e já conta com 35 pontos em 13 jogos. Num jogo marcado mais pela luta e raça do que pela qualidade, os leões certamente não se vão importar da falta de brilho, pois no final de contas vão voltar ao continente com mais três pontos na tabela classificativa.

 

Fonte da imagem de capa: A Bola