Jovem Promessa: Emile Smith Rowe, mais um jovem “canhão” para o Arsenal

Aqui analiso o percurso e as qualidades de um dos jovens ingleses mais promissores da famosa Hale End Academy. Tem potencial para ser o próximo 10 da seleção Inglesa e do Arsenal, e competir com as atuais grandes promessas do futebol mundial. Falo de Emile Smith Rowe.

Emile Smith Rowe nasceu a 28 de julho de 2000 em Croydon, no sul de Londres. Em 2010 mudou-se para o norte de Londres, quando, aos 10 anos, ingressou na academia do Arsenal. Desde então tem sido figura central das equipas de formação do clube londrino, com 21 golos e 8 assistências em 54 jogos, divididos pelas equipas de sub 18 e sub 23 dos “Gunners”. Já jogou por vários escalões das seleções jovens Inglesas, sendo inclusive Campeão do Mundo sub 17, fazendo uma assistência na final contra o Brazil.

Durante os anos em que esteve na famosa “Hale End Academy”, rejeitou propostas do Tottenham e do Barcelona, de forma a continuar no Arsenal.

Estreou-se pela equipa de sub 23 do Arsenal em 2016/17 e, desde então foi-se abrindo o caminho até se estrear pela equipa A do Arsenal em 2018/19 pela mão de Unai Emery. Fez a pré-época de 18/19 com a equipa principal, marcando inclusive ao Atlético Madrid e fazendo uma assistência frente ao PSG no seu 18º aniversário. No final da pré-época assinou um contrato de longa duração (não foi confirmada a duração mas pensa-se que foram 5 anos).

 

2018/19 – Estreia na equipa principal e aventura na Alemanha

A sua estreia na equipa principal do Arsenal chegou a 28 de setembro de 2018 na Liga Europa frente ao Vorskla Poltava, quando, ao entrar na segunda-parte, se tornou no primeiro jogador nascido em 2000 a jogar pelos Gunners. No seu primeiro jogo a titular (frente ao Qarabag), marcou um golo, tornando-se no mais novo marcador pela equipa londrina. Nessa época fez 4 jogos na Liga Europa (marcando 2 golos), 2 jogo na Carabao Cup (1 golo) e 4 jogos na Premier League 2 (2 golos). Acabou essa época emprestado ao RB Leipzig. Chegou ao clube alemão ainda com uma lesão, pelo que não conseguiu criar o impacto que se esperava dele tendo feito apenas 3 jogos na Bundesliga.

 

2019/2020 – Mais jogos e empréstimo ao Championship

Na época seguinte voltou a jogar na Liga Europa (fazendo mais 3 jogos), na Carabao Cup (1 jogo) e na Premier League 2 (5 jogos). Ainda teve oportunidade de se estrear na Premier League, pela mão de Freddie Ljunberg que substituiu Unai Emery a título temporário no comando do Arsenal. Com a chegada de Mikel Arteta, o médio foi emprestado ao Huddersfield Town onde fez 19 jogos, marcando 2 golos. Muitos adeptos do clube do Championship pediam ao treinador Danny Cowley para Smith Rowe jogar mais minutos, e o treinador respondeu dizendo que o clube tinha de proteger o jogador (devido aos seus problemas com lesões) e que ele mesmo odiava substituir o jogador durante os jogos.

 

2020/21 – Finalmente um lugar no Arsenal

Esta época começou de forma difícil, tendo de gerir alguns problemas de lesões. No entanto, fez três jogos na Liga Europa (marcando um golo) e ganhou ritmo na equipa sub-23, fazendo três jogos e marcando também um golo. Com a equipa do Arsenal a necessitar urgentemente de um jogador criativo, Mikel Arteta virou-se para o jovem inglês, dando lhe a titularidade frente ao Chelsea no “Boxing Day”. Este jogo (em que fez uma assistência), que acabou 3-1 para os Gunners, marcou um ponto de viragem na época dos Londrinos, que desde então, com Emile Smith Rowe a jogar, tem 4 vitórias 1 um empate. Nestes 5 jogos, Emile fez 3 assistências e 1 golo. Com a iminente chegada de Martin Odegaard ao Emirates, Emile Smith Rowe é aliviado de ser a única fonte de criatividade do plantel, não correndo o risco de “burnout”, evitando lesões mais graves.

Juntamente com Bukayo Saka, tem sido a chave para o sucesso recente do Arsenal, “acordando” o ataque do Arsenal que, esta época, apresentava níveis muito baixos. Prevê-se um futuro muito positivo para o médio, que pode jogar “a 10” ou a partir da esquerda, muito provavelmente com a estreia pela seleção sub-21 de Inglaterra.

É um jogador capaz de jogar entre linhas, de quebrar linhas defensivas através dos seus passes, com vontade e capaz de vir atrás ajudar na organização defensiva, um jogador que gosta de jogar rápido, com o mínimo de toques na bola possível, acelerando assim os momentos de transição e ajudando nos momentos em que o Arsenal precisa de quebrar um “autocarro” defensivo. Já admitiu ser adepto das qualidades de Mesut Özil, Bruno Fernandes e Kevin De Bruyne (a sua alcunha é “Croydon De Bruyne”).

O Arsenal irá jogar contra o Benfica na próxima ronda da Liga Europa, pelo que este será um jogador que será rapidamente familiar para os portugueses, e que poderá causar estragos na defesa dos encarnados.

 

Fonte da Imagem de capa: Twitter @Arsenal