Wolverhampton vence Arsenal por 2-1, Manchester United cilindra Southampton por 9-0

A armada portuguesa em Inglaterra, liderada por Nuno Espírito Santo, venceu o Arsenal em casa por 2-1, num jogo com muitos assuntos de destaque, e Bruno Fernandes e companhia golearam o Southampton por nove bolas a zero.

Começando pelo Wolves, a partida começou de feição para o Arsenal com um golo aos 9 minutos de Bukayo Saka, no entanto, este golo foi anulado por fora de jogo do inglês. Os Gunners continuaram a pressionar os Wolves e, aos 32 minutos, Pépé, a partir do lado esquerdo, faz dois “túneis” dentro da área adversária e chuta com pé direito em arco para o fundo das redes de Rui Patrício, num remate sem hipótese para o guardião português.

Apesar do início forte dos londrinos, a primeira parte acabaria de forma dramática para os forasteiros. Após falta de David Luiz, o árbitro Craig Pawson assinalou penálti e expulsou o central ex-Benfica. O juiz ainda consultou o vídeo-árbitro, mas manteve a decisão original. Rúben Neves, da marca dos 11 metros, não vacilou.

A primeira parte acabou mal para o Arsenal e a segunda não começou melhor: de longa distância, João Moutinho apostou no remate forte à baliza de Leno, marcando assim um grande golo, que colocou o Wolverhampton em vantagem. O Arsenal tentou reagir, mas a inferioridade numérica pesava nas aspirações da equipa visitante.

Essa inferioridade viria a aumentar aos 72 minutos, quando Bernd Leno socou a bola fora de área. Craig Pawson mostrou o segundo vermelho direto da partida, e o segundo para o Arsenal. Com menos dois jogadores, o Arsenal não teria argumentos para inverter o resultado contra o Wolverhampton, onde atuaram hoje oito jogadores portugueses: Rui Patrício, Nélson Semedo, João Moutinho, Rúben Neves, Pedro Neto e Daniel Podence foram titulares, enquanto que Vitinha e Fábio Silva foram suplentes utilizados.

Fonte da imagem: Twitter do Wolverhampton – @wolves

Se, por um lado, o jogo no Molineux foi rico em emoção, a história do Manchester United frente ao Southampton foi decidida logo ao início: ao segundo minuto de jogo, uma entrada dura de Alex Jankewitz sobre McTominay fez o jogador suíço ver o vermelho direto, fazendo com que os Saints jogassem desde início com menos um.

O Man United acelerou no jogo, através de várias jogadas pelas alas. Wan-Bissaka marcou aos 18 minutos, a cruzamento de Luke Shaw e Rashford ampliou a vantagem sete minutos depois, a passe de Greenwood. O mesmo Rashford seria protagonista na jogada do 3-0, com o cruzamento que seria desviado por Bednarek para o fundo da sua própria baliza. Ainda houve tempo para um golo de Cavani na primeira parte, com destaque para o cruzamento de Luke Shaw.

O Southampton regressou ao relvado no segundo tempo com o intuito de manter o esforço e até marcou primeiro por Che Adams aos 53 minutos, golo que viria a ser anulado pelo VAR por fora de jogo. O conjunto de Old Trafford viria a aumentar a vantagem aos 69 minutos com um golo de Martial, a passe de Bruno Fernandes. Dois minutos depois, McTominay marcou o 6-0 e aos 87 minutos Bednarek derrubou Martial dentro da grande área, vendo também o cartão vermelho. Bruno Fernandes converteu a grande penalidade e já na compensação ainda houve tempo para dois golos de Martial e Daniel James, respetivamente.

Fonte da imagem: Twitter do Manchester United – @manutd

O Wolverhampton virou nesta jornada uma série de oito jogos sem vencer para a Premier League, enquanto que o Arsenal perde para a competição pela primeira vez em oito partidas. Por sua vez, o Southampton perdeu por 9-0 pela segunda vez em duas épocas, desde o 0-9 em casa aplicado pelo Leicester City, e o Manchester United vence para o campeonato depois de dois jogos sem ganhar e iguala a sua maior vitória na competição, que remonta aos 9 golos sem resposta aplicados também em casa ao Ipswich, a 4 de março de 1995.

 

 

Fonte da imagem de destaque: Twitter do Wolverhampton – @Wolves