Lembra-se de: Simon Vukcevic, o leão de Montenegro

Na rubrica “Lembra-se de” desta semana trazemos-lhe Simon Vukcevic. Chegou a Alvalade e conquistou o coração dos adeptos da turma verde e branca. Recorda-se do extremo?

Simon Vukcevic nasceu a 29 de janeiro de 1986, na cidade de Titogrado, atualmente denominada de Podgorica, a capital do Montenegro. Começou a dar os primeiros toques na bola no Boducnost, mas aos 16 anos foi para o Partizan de Belgrado, onde começou a dar nas vistas na sua carreira futebolística.

Não demorou muito tempo até chegar à equipa principal e ser campeão. Desde tenra idade, Vukcevic sempre foi adorado pelos adeptos do seu país sendo que com apenas 18 anos já tinha marcado presença num europeu de sub-21, ainda quando o Montenegro não era independente. Com a independência do Montenegro, Vukcevic assumiu um papel ainda mais preponderante no seu país.

Contudo, nem tudo correu às mil maravilhas. Com o passar dos anos, Vukcevic começou a ser acusado de não estar na sua melhor forma e de não jogar para equipa. Até que, em janeiro de 2006, Vukcevic transferiu-se para o Saturn Ramenskoe da Rússia, surpreendendo todos os seus adeptos. Foram precisos sete milhões de euros para o clube russo contratar o jogador.

No entanto, a adaptação não foi a mais benéfica para o jogador e Vukcevic não conseguiu dar o melhor de si. Muitas foram as acusações do jogador ao treinador por não o meter a jogar na posição que gostava de jogar. Em duas temporadas fez apenas 36 jogos e dois golos pelo clube russo.

Até que o Sporting anunciou a contratação do pé esquerdo prodigioso. Em 2007/2008, o Sporting deu dois milhões de euros por 50 por cento do passe do internacional montenegrino. Rapidamente Vukcevic conquistou os corações dos adeptos verdes e brancos, pela forma como encarava os jogos e pela facilidade que tinha em rematar e criar perigo nas balizas adversárias. Muito forte fisicamente, Vukcevic destacava-se pelo seu jogo extremamente ofensivo, e pela garra e vontade em campo, não dando qualquer bola como perdida.

No entanto, os problemas com os treinadores pareciam perseguir o jogador. Vukcevic deixou de jogar regularmente e sentia que podia dar mais à equipa de Alvalade. Na temporada de 2010/2011 chegou a ser anunciado o seu empréstimo ao Olimpiakos, mas à última da hora o clube não quis avançar com o negócio, pelas exigências do jogador. Tinha apenas mais um ano de contrato e, por isso, recusou-se a renovar. Pelos leões apontou 26 golos em 134 partidas. Sem dúvida um jogador que os sportinguistas não vão esquecer tão rapidamente.

Vukcevic acabou por ser vendido ao Blackburn de Inglaterra, por 2,3 milhões de euros, onde pouco ou nada jogou, onde apontou um tento em 21 jogos. Rescindiu contrato e em 2012/2013 foi para a Ucrânia para representar o Karpaty. Até ao fim da temporada fez apenas dois jogos, e acabou por regressar à Sérvia para representar o FK Vojvodina, na época seguinte.

Representou ainda o Levadiakos FC, da Grécia e o EN Paralimniou, do Chipre, até que regressou a Portugal. Depois de passagens infelizes nos clubes anteriores, Vukcevic foi apresentado como reforço do Chaves, em 2016/2017. A forma e qualidade já não era a mesma, mas com 31 anos ainda fez 12 jogos pelo clube português.

No ano seguinte assinou como jogador livre pelo FK Buducnost, do Montenegro. O jogador decidiu voltar ao seu país e estar junto dos adeptos que o adoravam. Acabou a temporada e, com 32 anos, acabou por pendurar as botas. A verdade é que a carreira de Vukcevic tinha grande potencial, mas acabou por não estar ao nível das grandes expectativas em torno do jogador.

 

 

Fonte das imagens: Zerozero, UEFA, Record e Correio da Manhã.

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.