20 minutos para esquecer impõem terceira derrota consecutiva ao Liverpool

O Leicester City recebeu o Liverpool numa partida relativa à 24ª jornada da Premier League. Num confronto que se antevia muito interessante entre o terceiro e o quarto classificado da tabela, foi a turma de Brendan Rodgers que acabou por sorrir, após uma fase final catastrófica para o conjunto red que ainda esteve a vencer mas acabou acabou derrotado por três a um.

Eram muitos os pontos de interesse que abriam o apetite para o embate entre Leicester e Liverpool. Os foxes vinham de uma vitória diante do Brighton e pretendiam exercer pressão no líder Manchester City, a sete pontos de distância, enquanto que o conjunto de Jürgen Klopp apresentou-se em campo decidido a ultrapassar a espiral negativa em seu torno, com duas derrotas consecutivas nos últimos jogos, num dia em que Ozan Kabak se estreou com a camisola red.

Os campeões em título começaram e passaram grande parte da partida em sentido ascendente, ganhando vários duelos no meio campo adversário com a sua já conhecida pressão alta e criando vários lances de perigo. A turma de Ricardo Pereira (foi titular a lateral esquerdo e cumpriu os 90 minutos) demonstrava grandes dificuldades em circular o esférico e apenas conseguia responder, timidamente, com lances protagonizados por Jamie Vardy, que ainda assim chegou a assustar os reds com um remate à barra perto do intervalo. O domínio dos pupilos de Klopp era incontestável e parecia uma questão de tempo até a sua equipa pôr-se em vantagem, com também Alexander-Arnold a acertar na barra adversária na cobrança de um livre direto aos 56 minutos.

Aos 67´, a insistência ofensiva do Liverpool finalmente deu frutos. Arnold deu início ao lance, entrando pelo lado esquerdo da área do Leicester e passou de forma rasteira para Firmino. O brasileiro, com um pormenor técnico de grande qualidade, assistiu Salah que, sem cerimónias, bateu Schmeichel e inaugurou o marcador. Os sinais não podiam ser mais favoráveis para um regresso às vitórias para os reds, mas os vinte minutos que se seguiram após o tento do egípcio foram absolutamente catastróficos. Aos 78´, James Maddison, na sequência de um livre, bateu um remate traiçoeiro que passou por toda a confusão na grande área de Alisson e acabou no fundo das suas redes. Meros três minutos depois e já o Leicester tinha dado a volta ao marcador e bem que o pode agradecer ao guardião red. Alisson, numa saída completamente em falso, deixou o esférico nos pés de Vardy e o internacional inglês, perante uma baliza desprotegida, só teve de encostar e consolidar o segundo tento da sua equipa.

Aos 85´, o golpe final dos foxes aconteceu. Salah mediu mal um passe no meio campo, a defesa do Liverpool não se conseguiu organizar a tempo e Ashley Barnes foi quem castigou, com o extremo a arrancar no seu flanco esquerdo e a bater Alisson, fixando o resultado final e deixando Jürgen Klopp bastante irritado com a prestação da sua equipa, que num espaço de 20 minutos, passou de bestial a besta.

O Liverpool, desta forma, soma a terceira derrota consecutiva para a Premier League e fica numa posição onde poderá ver Chelsea, West Ham e Everton passarem à sua frente na tabela classificativa. Por outro lado, o Leicester City vence o seu segundo jogo consecutivo no campeonato e ultrapassa, à condição, o Manchester United na tabela classificativa, passando a ocupar o segundo lugar com 46 pontos.

Fonte da imagem de capa: Twitter @LCFC

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.