Jovem Promessa: Silas Wamangituka – O “Rookie of the Year” da Bundesliga

Esta semana no Jovem Promessas, abordamos um dos jogadores surpresa da Bundesliga – o jovem extremo Silas Wamangituka, vencedor do prémio de melhor jovem nos meses de Novembro e Dezembro.

Quando o apito soou no Westfalenstadion, dia 12 de Dezembro de 2020, às 3:30 da tarde, a única opção para o Borussia Dortmund era ganhar. Após uma série de jogos menos positivos que viram o clube da Westfália desperdiçar o bom início de época e cair até ao 4° lugar, a vitória era crucial não só para garantir a continuação da luta pelo título, mas a sobrevivência de Lucien Favre no comando do Borussia.

No caminho do clube amarelo encontrava-se uma das equipas surpresas da Bundesliga. O recém-promovido Estugarda, que se encontrava na oitava posição após um bom início de época. Com um onze inicial com uma média de idades de 22.8 anos, a equipa liderada por Pellegrino Matarazzo – um treinador Italo-Americano que trocou um trabalho na bolsa pelo futebol – já tinha mostrado que conseguiam alcançar algo especial esta época, tornando-se rapidamente numa das equipas mais interessantes na liga.

Quando o apito soou de novo no Westfalenstadion, dia 12 de Dezembro de 2020, às 5:30 da tarde, o mundo do futebol parou em choque coletivo ao que tinha acabado de presenciar. Na casa do vice-campeão Alemão, considerada um forte onde equipas adversárias tinham dificuldade em sequer sobreviver com um ponto, os jovens do Estugarda assaltaram o castelo, roubaram o tesouro e queimaram a terra. O monitor no estádio informava até os mais céticos: Borussia Dortmund 1-5 VfB Estugarda.

Fonte da Imagem: Focke Strangmann (Pool/Getty Images)

Lucien Favre foi imediatamente despedido. Pellegrino Matarazzo e os recém-promovidos ganhavam mais um resultado histórico para juntar à campanha de retorno. No entanto, houve um nome que soou mais alto que o resto. No final do jogo, ninguém falou da performance de jovens estrela como Jadon Sancho, Giovanni Reyna e Jude Bellingham ou mesmo internacionais como Marco Reus, Raphaël Guerreiro, Nicolas Gonzalez ou Wataru Endo. Não, no final da partida o mundo futebolístico foi finalmente introduzido a uma nova estrela: Silas Wamangituka Fundu.

Com dois golos e uma assistência, o jovem Congolês guardou a sua melhor exibição até agora com a camisola dos Suábios para a maior audiência possível. Desde então, têm demonstrado um potencial enorme, que o viu a ganhar prémios de melhor de melhor estreante na Bundesliga nos meses de Novembro e Dezembro – estando também na corrida para o prémio de Janeiro, com 3 golos em 4 jogos durante o mês.

Fonte da Imagem: Bundesliga

Silas Wamangituka começou a sua carreira com o seu clube local em Kinshasa, na República Democrática do Congo. Aos 17 anos moveu-se para o Olympique Alés, um clube da quinta divisão Francesa, onde durou apenas meses até ser contratado pelo Paris FC da Ligue 2. O ano que passou na segunda divisão Francesa não começou da melhor maneira – apenas no segundo jogo, contra o AC Ajaccio, Silas entrou aos 60 minutos e foi expulso aos 77, por acumulação de amarelos. O período de adaptação mostrou-se difícil, com o primeiro golo a vir apenas no oitavo jogo, o solitário do Paris FC numa derrota por 2-1 contra o Lorient. Apesar da derrota, o golo pareceu libertar o jovem de apenas 19 anos, que nos restantes 24 jogos contribuiu com 10 golos e 2 assistências, tudo a jogar como Avançado Centro num típico 4-2-3-1. O Paris FC acabaria a época em 4º lugar – muito às costas de Wamangituka, o melhor marcador da equipa – mas infelizmente uma derrota em penaltis nos playoffs contra o RC Lens impediu a subida de divisão do conjunto Parisiense. Mesmo assim, o jovem Congolês tinha feito mais que suficiente para chamar a atenção de clubes estrangeiros e na época 2019/2020, moveu-se para o Estugarda.

Fonte da Imagem: LP/Icon Sport/Baptiste Fernandez

A primeira época na Bundesliga 2 foi semelhante à anterior – início turbulento, primeiro golo apenas na sétima jornada (uma derrota por 6-2 em casa dos líderes HSV), uma melhoria significativa depois de “libertar o peso” do primeiro golo. No entanto, apesar de ter uma contribuição semelhante à do ano passado (11 golos e 2 assistências em 32 jogos contra 7 golos e 8 assistências em 29 jogos), Wamangituka destacou-se mais pela versatilidade – começou o ano a jogar a Ponta de Lança num 4-3-3 e acabou a época como Extremo/Médio-Ala Direito num 3-4-2-1, onde mostrou toda a sua qualidade. No último mês, com o Heidenheim e o Hamburgo atrás do clube bávaro, o jovem Congolês tornou-se uma peça fulcral da equipa – registando 4 assistências e 1 golo nas últimas 4 partidas do Estugarda, garantindo assim a promoção direta para o escalão principal.

Fonte da Imagem: VfB Stuttgart

Agora com 21 anos, Silas estabeleceu-se como um dos melhores membros dos “Jungen Wilden 2.0” – uma referência não só à idade jovem do plantel (o mais novo da liga) mas também aos originais “Jungen Wilden”, a mítica equipa que surpreendeu a liga inteira para se tornar campeã na época 2006/07 (com Fernando Meira a capitão e nomes como Mário Gomez, Sami Khedira e Thomas Hitzlsperger).

Utilizado maioritariamente como Ala Direito no sistema de 3 centrais de Pellegrino, Silas melhorou os seus números de uma forma extraordinária, registando 10 golos e 3 assistências num total de 17 jogos para a liga esta época. Apesar de operar maioritariamente na ala direita do meio campo, o jovem tem “permissão” para aparecer em posições de finalização – como visto nos golos contra o Friburgo e o Mainz, em que Wamangituka sobe no terreno e acompanha o ataque quase como um extremo, aparecendo dentro da área para finalizar – um pouco como Angeliño no RB Leipzig, Raphaël Guerreiro no Dortmund ou Robin Gosens na Atalanta.

Para além disso, apesar de jogar na direita, têm total liberdade para cortar para dentro e correr para o centro – normalmente combinando com um dos médios ou avançados para se posicionar melhor em frente à baliza. Na partida contra o Dortmund, o primeiro golo do Congolês vem através de um penalty, mas o segundo demonstra a liberdade de movimentos de Silas no sistema de Matarazzo. Após exercerem excelente pressão na defesa do Dortmund, o médio centro Orel Mangala (ex-Borussia Dortmund II) recupera a bola e instantaneamente a conduz para fora, enquanto Wamangituka troca de posições – passando da ala para o centro, aparecendo na posição de ponta de lança, onde após o cruzamento de Mangala, domina com o pé esquerdo e finaliza com o direito, colocando a bola no canto superior direito, sem hipótese para Roman Bürki.

Mesmo na assistência para Tanguy Coulibaly (que estava a atuar como Ponta de Lança), Wamangituka recupera a bola na ala após um mau passe de Jude Bellingham, consegue a desmarcação para o Coulibaly e instantaneamente se movimenta para o meio, trocando de posição de novo com outro membro da equipa. Coulibaly acaba por percorrer o resto do caminho sozinho e finalizar, mas de qualquer das maneiras, Silas utilizou o seu bom movimento e inteligência para se colocar numa uma melhor posição de golo.

A inteligência, liberdade de movimentos e confiança depositada por Matarazzo, juntamente com a velocidade, qualidade de drible e finalização de Wamangituka transformaram-no num dos jogadores com mais promessa do campeonato Alemão e na estrela de uma equipa do Estugarda rejuvenescida e pronta para finalmente retornar ao seu posto como uma das melhores equipas da Bundesliga.

Apesar da época que está a realizar, Wamangituka ainda não foi capaz de jogar pelo seu país de origem. Silas foi acusado por parte do L’Equipe de estar a utilizar uma identidade falsa – ao mesmo tempo que um clube em Kinshasa também se queixou que um jogador com o nome “Mvumpa Katompa Silas” e uma foto igual tinha desaparecido do clube em 2017. O treinador da República Democrática do Congo Christian Nsengi-Biembe referiu a sua vontade de chamar o talentoso jovem – que tem tudo para se tornar no melhor jogador da história do país – à seleção, mas afirma que não pode: “Houve um problema administrativo, relacionado com o passaporte. Já ouvimos muitas histórias, que ele é um refugiado político… Mas não conseguimos resolver o assunto. Uma coisa é certa – nunca ouvimos falar de nenhum Wamangituka na República Democrática do Congo”.

Wamangituka ou Mvumpa Katompa, uma coisa é certa – o jovem Congolês já mostrou toda a sua qualidade e com apenas 21 anos, é uma questão de tempo até dar o salto para palcos maiores. Por enquanto, a única coisa a fazer é apreciar o seu talento e continuar a ver um dos melhores talentos Africanos a desenvolver-se em frente aos nossos olhos.

Fonte da Imagem de Capa: VfB Stuttgart

Nuno Tavares

No dia 15 de Março de 2012 tive o prazer de ver o Sporting a eliminar o Manchester City e pensei "isto do futebol é giro, gosto". A partir daí nunca mais consegui parar. Sportinguista (e Borusse) de nascença. Fã de Futebol Alemão e Espanhol. Licenciatura em Ciências da Comunicação no ISMAI.