RB Leipzig 0-2 Liverpool: dois erros ditam vitória unilateral para a equipa de Jurgen Klopp

Mohamed Salah e Sadio Mané fizeram os golos dum Liverpool renascido, contra um Leipzig muito desinspirado.

Apesar duma jornada marcada pelo Barcelona – PSG marcado para a mesma hora, o jogo entre Leipzig e Liverpool era um jogo grande dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. O Liverpool, numa série de derrotas e em decadência em comparação com a última temporada, luta pelo troféu maior da Europa, depois de Jurgen Klopp ter abertamente “desistido” da Premier League. Por seu turno, o Leipzig vem de 5  vitórias em 6 jogos e está a 5 pontos do líder Bayern. Ainda na memória está a grande caminhada do clube alemão na última época, em que chegou às meias-finais da Liga Milionária e a turma de Julian Nagelsmann quer repetir o feito.

Com o Leipzig a jogar em casa, as restrições de deslocação causadas pela COVID-19 ditaram que o jogo fosse jogado na Puskás Arena, em Budapeste.

A equipa da casa apostou numa defesa a quatro para enfrentar o Liverpool, com Upamecano a liderar o quarteto. O meio campo a quatro contava com Haidara e Kampl como médios mais defensivos, com o último a ser o maior responsável pelas transições defesa-ataque. Sabitzer tinha como tarefa ser a principal referência entre linhas, com Nkunku e Dani Olmo com maior mobilidade entre a ala e o centro.

Por sua vez, a turma de Jurgen Klopp atacou esta partida num 4-3-3 já clássico na equipa do Liverpool. Alexander-Arnold e Robertson com tarefas ofensivas muito definidas, um meio campo mais utilitário no miolo, contando com o posicionamento e verticalidade de passe de Thiago Alcântara a partir da posição 6 e com Roberto Firmino a descer para abrir espaços para as “flechas” Mané e Salah.

No início do jogo, o Liverpool mostrou de imediato que queria dominar. O controlo da posse foi dos ingleses e, numa primeira parte controlada mais a meio campo, as maiores chances de perigo foram mesmo da equipa de Klopp. Aos 32 minutos Robertson aproveitou uma recuperação de bola após uma saída de Gulacsi para tentar colocar a bola de longe, num remate que saiu ligeiramente por cima. A bola chegou a entrar na baliza do Leipzig, quando Firmino respondeu a um cruzamento de Mané que ganhou uma na linha de fundo numa jogada de insistência de Sadio Mané. No entanto, o golo não contou, uma vez que a bola já tinha saído antes de ser cruzada. Assim, a primeira parte acabaria 0-0.

No segundo tempo, o domínio dos Reds continuou, com o meio campo do Leipzig a descer de rendimento. A pressão do Liverpool cresceu e, aos 53 minutos, essa pressão levou Sabitzer a fazer um passe mal calculado para Klostermann. Salah aproveitou, ficou cara-a-cara com Gulacsi e encostou para o fundo das redes. A partir desse momento, o domínio do Liverpool aumentou ainda mais, e foi sem surpresa que, ao minuto 58, um erro de Mukiele voltou a levar a que a equipa de Jurgen Klopp, desta vez por Sadio Mané, voltasse a ficar frente a frente com a baliza do Leipzig. Mané não perdoou e fez o 2-0.

Salah marcou o seu 24º golo nesta temporada

O jogo foi então controlado pelo Liverpool, sem haver nenhuma hipótese de realce para o Leipzig, e acabou por terminar com a vitória do conjunto inglês por duas bolas a zero.

Num jogo muito bem conseguido por parte do Liverpool, voltou a haver destaque para os laterais Alexander-Arnold e Robertson, que andam a atravessar uma má fase, mas que hoje estiveram muito presentes e para os extremos goleadores, uma vez que Mané e Salah não só marcaram como foram os elementos mais desequilibradores durante toda a partida. Ainda assim, o maior destaque vai para Curtis Jones. O médio de apenas 20 anos mostrou o porquê de já ser titular do Liverpool, num jogo posicional muito importante a contrariar as possibilidades atacantes do Leipzig, enquanto que, no plano ofensivo, foi dinamizador dos ataques, quer a transportar a bola, quer a tentar passes atacantes.

Quando ao Leipzig, a linha defensiva merece as maiores críticas. Um jogo muito pouco sólido da linha defensiva dos alemães, que deixaram várias vezes que Salah e Mané aparecessem nas costas a causar perigo. Os dois erros crassos que deram golos, a adicionar às falhas que levaram a muitas investidas pela esquerda e pela meia-direita que os extremos do conjunto inglês protagonizaram, mostraram as debilidades defensivas da equipa de Julian Nagelsmann. Ainda assim, há que destacar a exibição positiva de Kevin Kampl. O médio esloveno foi muito importante a dar equilíbrio no meio campo e, num jogo mais apagado do Leipzig, foi o elemento que mais procurou transportar a bola para a frente até aos avançados.

Com este resultado, o Liverpool leva uma vantagem de dois golos marcados fora de casa para a segunda mão, que será jogada a 10 de março em Liverpool.

 

Fonte das imagens: Twitter da UEFA Champions League – @ChampionsLeague