Dortmund vence Sevilha por 3-2 com Haaland em destaque

Sevilha e Dortmund enfrentaram-se hoje no Ramón Sanchéz Pizjuan a contar para a primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Este jogo, que contou com o português Raphael Guerreiro na equipa dos forasteiros e com nomes conhecidos do futebol nacional como Óliver Torres, ex-Porto, Nemanja Gudelj, que já esteve emprestado ao Sporting (ambos entraram na segunda parte na equipa da casa) e o antigo treinador dos dragões Julen Lopetegui, foi desde início um jogo intenso e disputado, com o Sevilha a dominar a posse de bola e o Borussia a mostrar o seu poder nas transições ofensivas rápidas.

Logo aos sete minutos, Suso, à entrada da área, tirou o seu oponente direto do caminho e rematou à baliza de Marwin Hitz. A bola desviou no pé de Hummels, traíndo o guarda-redes suíço.

O Dortmund não se deixou ficar atrás, e repôs a igualdade com um golo de belo efeito. Aos 19 minutos, Dahoud recebe um passe de Haaland a meio campo, progride no terreno e dispara de fora de área para a baliza dos da casa, com a bola a entrar no ângulo superior da baliza defendida por Bono. Estava assim refeito o empate, no entanto, o destaque da partida ainda estava para vir no primeiro tempo.

Aos 27 minutos, Haaland transportou a bola até à área adversária, tabelou com Jadon Sancho e encostou para o fundo das redes do Sevilla. Ainda assim, a sede de golos do jovem norueguês de apenas 20 anos ainda se faria sentir na equipa adversária, quando aos 43 minutos, num contra-ataque rápido do Dortmund, Marco Reus colocou a bola nos pés de Erling Haaland. Na cara de Bono, o avançado bisou na partida. O intervalo chegaria pouco tempo depois, com o Sevilha a perder em casa por três bolas a uma.

Na segunda parte, o conjunto de Lopetegui foi mais dominador, com o controlo total do jogo e da posse de bola, não dando espaço ao Dortmund para tentar aumentar a vantagem.

A grande chance de perigo não concretizada do segundo tempo veio aos 74 minutos. Óscar Rodríguez, médio espanhol de 22 anos, assumiu a cobrança dum livre direto. Com um remate colocado, disparou à baliza do Dortmund, com a bola a bater com estrondo no poste esquerdo e ressaltando depois na mão de Hitz.
O Sevilha viria, no entanto, a reduzir a desvantagem por intermédio de Luuk De Jong, que encostou para o fundo das redes em resposta a um cruzamento teleguiado de Óscar.

O jogo terminou tenso, com vários momentos de discussão entre ambas as equipas em que o árbitro Danny Makkelie teve que intervir. Ainda assim, a vitória acabou por não fugir aos alemães.

O destaque maior desta partida vai para Erling Haaland. Com influência direta nos três golos da equipa visitante (dois golos e uma assistência), o Dortmund teve em Haaland a principal figura que, num jogo em que o domínio foi quase na totalidade do Sevilha, soube ser eficaz em frente à baliza adversária.
Apesar da derrota, o Sevilha merece também uma palavra de apreço pela capacidade de jogar com bola, pecando apenas no momento da finalização. Individualmente, a maior referência da equipa foi Óscar Rodríguez que, apesar de entrar apenas aos 72 minutos da partida, teve tempo para acertar no ferro da baliza de Hitz e assistir De Jong para o golo.

Com este resultado, o Borussia Dortmund leva uma vantagem de não só um golo sobre o Sevilha, mas também de três golos marcados fora para a segunda mão, que vai ser disputada a nove de março.

 

Fonte da imagem: Twitter da Liga dos Campeões – @ChampionsLeague