Benfica empata com Arsenal e deixa tudo em aberto para a segunda mão

Águias empataram a uma bola com os gunners com golos na segunda parte de Pizzi e Saka.

O encontro entre SL Benfica e Arsenal FC, a contar para os 16 avos de final da Liga Europa, teve o seu pontapé inicial às 20:00 desta quinta-feira, no Estádio Olímpico de Roma, devido às restrições de viagens atualmente em vigor. Para efeitos oficiais, este foi o jogo “em casa” dos encarnados.

Os eleitos de Jorge Jesus foram Helton Leite na baliza, Vertonghen, Otamendi e Lucas Veríssimo (em estreia absoluta) no setor mais recuado, Grimaldo e Diogo Gonçalves nas alas, Weigl, Pizzi e Taarabt no meio campo e Darwin e Waldschimdt no ataque.

Por sua vez, Mikel Arteta lançou Leno entre os postes, Cédric, Gabriel, David Luiz e Bellerín no quarteto defensivo, Xhaka e Ceballos no miolo, Smith-Rowe e Saka nos flancos e Odegaard nas costas do avançado Aubameyang

Apesar de terem dominado toda a primeira parte através do controlo da posse de bola, os ingleses criaram poucas ocasiões de perigo, enquanto que os portugueses quase não chegaram ao último terço do campo.

A primeira chance surgiu apenas no 19º minuto, quando Bellerín apareceu nas costas da defesa lisboeta e cruzou rasteiro para Aubameyang que, com tudo para marcar, atirou ao lado. Pouco depois, Saka rematou de fora da área à figura de Helton Leite.

As águias responderam através de um lance no qual Darwin cortou para dentro e disparou para Leno agarrar a dois tempos, tendo esta sido a primeira e única oportunidade dos primeiros 45 minutos das águias.

Na segunda metade, o jogo mudou, ficando mais partido e, consequentemente, com um maior número de aproximações perigosas às balizas, embora os londrinos se tenham mantido por cima.

Primeiro, foi Pizzi, já dentro da grande área, a testar a atenção de Leno, mas o alemão segurou tranquilamente. De seguida, de boa posição, Saka atirou fraco e ao lado.

Posteriormente, vieram os golos. Aos 55 minutos, após Smith-Rowe ter intercetado um cruzamento com o braço, o árbitro apontou para a marca dos 11 metros e, chamado à conversão, Pizzi não tremeu e inaugurou o marcador.

No entanto, a vantagem do Benfica foi de curta duração já que, à passagem do minuto 57, Odegaard rasgou a defesa com um passe para Cédric que, com um cruzamento rasteiro, assistiu para Saka repor a igualdade. Boa jogada ao primeiro toque dos gunners.

Cinco minutos depois, houve perigo para os dois lados: primeiro, Rafa, (entrou ao intervalo para o lugar de Waldschimdt) numa boa jogada individual, obrigou o guardião do Arsenal a uma grande defesa e, ripostando, Aubameyang rematou a rasar o poste.

A última real ameaça dos encarnados foi protagonizada por Everton (substituiu Pizzi) que, num dos seus típicos lances, cortou da esquerda para dentro e disparou em arco muito perto do alvo

O último destaque do encontro foi para um grande corte de Lucas Veríssimo a impedir que Aubameyang, que seguia isolado, causasse estragos.

Assim, o marcador acabou por se manter no 1-1, resultado que, apesar da superioridade inglesa, se ajusta ao que se viu em campo dado que o perigo criado foi praticamente igual entre os dois conjuntos. Ainda assim, o Arsenal parte em vantagem para a segunda mão, que se realizará daqui a uma semana em Atenas, devido à regra dos golos forasteiros.

 

Fonte da Imagem: Twitter @EuropaLeague

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.