Curiosidades: final da Taça do rei, Real Madrid contra… Real Madrid?

Esta semana recordamos a final da Taça do Rei de 1980, que colocou frente a frente o Real Madrid, vencedor já de 14 edições da prova, e o Real Madrid Castilla, equipa de reserva dos merengues, naquela que foi a única vez que uma equipa secundária conseguiu chegar à final da competição.

Nos dias de hoje, em Espanha, tal como no resto da Europa, as equipas B servem elo de ligação entre o futebol de formação e o de equipa principal, sendo assim um espaço de aprendizagem e de adaptação ao futebol sénior, competindo nos escalões inferiores contra outras equipas profissionais, sem poder participar em taças. Contudo, até 1991, as equipas secundárias eram independentes da “casa-mãe”, podendo participar na Copa del Rey , sendo geralmente eliminadas na primeira ronda, excetuando a proeza da equipa do Real Madrid Castilla que, na temporada 1979/1980, com uma média de idades de 20 e um treinador com 34 anos, chegou à final da competição, onde acabou por perder 6-1 contra a equipa principal dos blancos.

A caminhada surpreendente do Castilla, na altura na segunda divisão, começou na primeira ronda onde venceu o Extremadura do terceiro escalão por um agregado de 10-2, seguindo-se vitórias convincentes nas duas eliminatórias seguintes contra o Alcorcón e Racing Santander, por agregados de 5-1 e 3-1,respetivamente.O primeiro momento épico da caminhada deu-se na quarta ronda frente ao Hércules (15º classificado da primeira liga) em que os jovens merengues após uma derrota de 4-1 na primeira mão, viraram a eliminatória em casa, após prolongamento com um extraordinário 4-0. Após derrotar o Athletic Bilbao nos oitavos de final por 2-1, seguiram-se as duas últimas eliminatórias até à final do Santiago Bernabéu , onde foi necessário, em ambos os casos, virar o resultado na segunda mão. Contra o segundo e terceiro classificados da Liga espanhola desse ano, vitórias por 2-0 e e 4-1 em casa sobre, respetivamente, Real Sociedad e Sporting Gijón, garantiram uma final inédita ao Castilla contra o Real Madrid.

A equipa principal blanca que contava com nomes míticos como o veterano Pirri, os avançados Santillal .na e Cunningham ou os futuros treinadores José Antonio Camacho e Vicente Del Bosque, começou a competir apenas nos oitavos de final e teve no Atlético de Madrid o seu principal obstáculo até ao confronto contra o Castilla, num confronto intenso nas meias finais que só foi resolvido nos penáltis, após um empate a uma bola no agregado total.

Finalmente, a 4 de junho de 1980, jogou-se a final mais real de sempre entre os “graúdos”, recém declarados campeões da La Liga e que jogavam com o branco tradicional, e os “miúdos” que iriam fechar uma época bastante positiva depois de alcançarem um sólido sétimo lugar na segunda liga espanhola e que envergariam a camisola alternativa de cor roxa. O palco do jogo não poderia ser outro que o imponente Santiago Bernabéu, que pintado de branco, puxava maioritariamente pelos underdogs do Castilla cujo carinho dos adeptos foi aumentando ao longo da temporada, sendo que, inclusive, a dada altura, a equipa jovem ultrapassou a principal em termos de entusiasmo por parte da massa associativa.

A superioridade do Real Madrid foi evidente desde o primeiro minuto chegando ao intervalo a vencer por duas bolas a zero com golos de Juanito e Santillana, notando-se o cansaço nas pernas dos jovens do Castilla que, após 48 jogos, não foram capazes de fazer uma surpresa notando-se também a clara diferença de qualidade e experiencia entre as duas formações. Na segunda parte, mais 4 golos foram marcados pela equipa principal que foi, até, alvo de críticas, nos dias seguintes, por ter continuado à procura do golo numa altura em que o resultado já estava decidido tentando humilhar uma equipa de jovens talentosos que eram admirados por todo o país. Foi por isso com muita euforia que os 65 mil adeptos presentes no estádio festejaram o golo de honra da equipa de reservas marcado por Alvarez aos 67 minutos.

No final “ganharam as duas equipas” na medida em que, por um lado, o Real levantou a taça e conquistou mais uma dobradinha para o seu historial enquanto que o Castilla fez história e ganhou a atenção de todo o país e um lugar na história, sendo a única equipa secundária a chegar à final da Taça do Rei e a participar numa competição europeia. Na época seguinte, a equipa participou na Taça dos Vencedores das Taças, tendo sido eliminada na primeira ronda pelo West Ham por 6-4 após prolongamento, numa eliminatória conhecida para a eternidade pelo facto de a segunda mão ter sido jogada à porta fechada, algo tão familiar nos dias de hoje.

 

Fonte da imagem: site Real Madrid CF