Manchester City vence Wolverhampton por 4-1 com domínio indiscutível

Com este resultado, a equipa de Pep Guardiola aumenta para 21 a série de vitórias que vive neste momento.

O Manchester City recebeu hoje a armada lusa comandada por Nuno Espírito Santo para a Premier League. A equipa de Manchester vinha duma série de 20 jogos a vencer, enquanto que o Wolverhampton, depois duma fase difícil, não tinha perdido nos últimos cinco jogos da Liga Inglesa.

Este jogo foi marcado pela forte presença portuguesa. Para além do treinador Nuno Espírito Santo, os Wolves contaram com Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho, Nélson Semedo e Pedro Neto no onze inicial, enquanto que Fábio Silva (entrou aos 55 minutos) e Vitinha estiveram no banco de suplentes. Na equipa de Pep Guardiola, Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva foram titulares.

Numa primeira parte totalmente dominada pelo City, com o Wolverhampton muito fechado, foi sem surpresa que o golo surgiu para os Cityzens aos 15 minutos. Um passe teleguiado de Rodri a sobrevoar a defesa encontrou Mahrez, que cruzou para Sterling no coração da área e na tentativa de intercetar o passe, Dendoncker tocou a bola para o fundo das redes defendidas por Rui Patrício.

A turma de Guardiola viria a marcar de novo aos 44 minutos, mas o golo de Laporte foi anulado pelo VAR por fora de jogo.

Na segunda parte, o domínio da equipa da casa manteve-se, o que tornou ainda mais surpreendente o acontecimento do minuto 61. Num livre cobrado irrepreensivelmente por João Moutinho, Conor Coady antecipou-se à defesa do Manchester City e cabeceou para dentro da baliza, repondo assim a igualdade.

O aperto da turma de Pep Guardiola manteve-se. Nos minutos seguintes, Gabriel Jesus chutou para defesa de Rui Patrício e Sterling rematou em arco ao poste. No sentido da corrente do jogo, a turma do Manchester City conseguiu, aos 79 minutos, voltar à vantagem. Depois dum passe vertical de Mahrez, Kyle Walker cruzou para a área e, depois dum ressalto em Dendoncker, Gabriel Jesus rematou para o fundo das redes.

Ao cair do pano, João Cancelo ganhou a bola dentro da área do Wolverhampton e a bola sobrou para Mahrez, que encostou para o fundo das redes. Pouco depois, Patrício defendeu de forma incompleta o remate de Gundogan, com Gabriel Jesus a bisar na recarga. O jogo acabaria então 4-1.

Apesar do resultado ter sido construído nos últimos 15 minutos da partida, é um resultado justificável para o domínio avassalador do Manchester City, que mantém a forma incrível que tem demonstrado. A pressão da equipa de Guardiola levou a que o Wolverhampton não tivesse argumentos para tentar disputar o jogo e, mesmo quando o jogo esteve empatado, os Cityzens não deram espaço para que a equipa de Nuno Espírito Santo desse a volta.

Apesar do jogo coletivo, o maior destaque vai para Mahrez. Para além do golo marcado, esteve presente em mais dois, para além de ser o principal desequilibrador. Também Rodri foi importante, não só a lançar ataques, mas também como pêndulo do meio campo, a parar os maiores ímpetos ofensivos e a permitir o domínio de bola do City.
Do lado dos Wolves, o maior destaque vai para Rui Patrício. O guarda-redes português foi o principal responsável por manter o resultado em aberto até tão tarde, e foi graças a várias intervenções que os números não foram mais díspares.

O Wolverhampton fica, com este resultado, dependente do Crystal Palace no 12º lugar, com apenas mais um ponto que os londrinos que jogam amanhã com o Manchester United. O Manchester City fica assim com mais 15 pontos que os Red Devils, segundos classificados, o que significa que terá pelo menos mais 12 quando as duas equipas se defrontarem na próxima jornada.

 

Fonte da imagem: Twitter do Manchester City – @ManCity