Sporting pretende acionar já uma época de opção do contrato de Feddal e segurá-lo até 2023

O papel central que o defesa marroquino tem desempenhado no sistema de Rúben Amorim e a estabilidade da sua condição física levam a que o clube leonino queira, já em maio, acionar uma das duas épocas de opção do contrato de Feddal que termina em 2022.

A rotura do tendão de Aquiles da perna esquerda que o central de 31 anos sofreu em 2018, ao serviço do Bétis, limitou a sua ação durante os seus dois últimos anos na Andaluzia e colocou desconfianças ao Sporting quanto à sua disponibilidade física a longo prazo na altura da sua contratação, em agosto do ano passado. Por esta razão, o contrato de Feddal é de dois anos com outros dois de opção, salvaguardando assim os leões caso o jogador não se conseguisse apresentar ao melhor nível físico e consequentemente não conseguisse ajudar a equipa em campo.

Contudo, os 25 jogos disputados, até ao momento, a alto nível ao lado de Coates e Neto ou Gonçalo Inácio, numa defesa a três, dissiparam quaisquer dúvidas que pudessem haver quanto ao estado físico do defesa central que tem jogado talvez o melhor futebol da sua carreira. A sua contratação no verão, a par de Ádan, serviu para acrescentar experiência a um plantel bastante jovem ao mesmo tempo que permitiu ao atual líder destacado do campeonato aprimorar o plano de jogar em 3x4x3 que já vinha sendo testado desde a época passada.

Feddal pode ser considerado assim a peça que faltava para a defesa do Sporting atingir outros patamares físicos e táticos sendo a melhor defesa do campeonato e a primeira linha de toda uma equipa que tem surpreendido esta temporada, sendo estas razões mais que suficientes para que a direção leonina queira já prolongar o contrato do jogador marroquino até 2023.

 

Fonte da imagem de capa: Site do Sporting Clube de Portugal