Buffon e o fim de carreira: “Na minha cabeça, junho de 2023”

Gianluigi Buffon abordou hoje qual a data que considera ser a limite para o seu tempo enquanto jogador de futebol. Para o lendário guardião, se o seu físico o permitir, irá jogar por mais duas temporadas, até 2023, apesar de admitir que o futuro é sempre incerto.

O guarda-redes de 43 anos prestou hoje declarações ao jornal britânico Guardian relativamente ao seu futuro enquanto futebolista e, quando questionado acerca de quando perspetiva que a sua aposentadoria aconteça, a sua resposta foi precisa mas ciente da incerteza que o futebol acarreta.

“Na minha cabeça, existe mesmo uma data limite, que é junho de 2023. Isso é o máximo, mas também posso parar dentro de quatro meses. Dizem que com a minha idade o declínio acontece de uma só vez. Aquilo que sinto é que não vou ter um colapso imediato. Sou alguém que acredita fortemente no destino”, assumiu Buffon.

O conceituado guardião revelou ainda os motivos que o fizeram retornar à Juventus na temporada passada, após ter passado uma época a atuar com as cores do PSG. “Quando a Juventus ofereceu-me a possibilidade de regressar, pensei: nunca se sabe, se calhar existe uma razão, algo que ainda tenho de fazer. A última grande história para escrever. Tenho de ser honesto, parte disto também está ligada ao ego que todos temos”, explicou.

Gianluigi Buffon tem sido a segunda escolha de Andrea Pirlo para o lugar de guardião da Juventus, atrás de Wojciech Szczęsny. Na atual temporada, leva dez jogos disputados e cinco tentos sofridos com a camisola da Vecchia Signora.

Fonte da imagem de capa: Twitter @gianluigibuffon

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.