Quem te viu e quem te vê… Jefferson

Chegou a Portugal pela porta do Estoril, mas foi no Sporting que se assentou, contando cinco épocas de leão ao peito. Em Lisboa foi feliz, conquistando todos os seus títulos coletivos enquanto representou os verdes e brancos, mas, desde que saiu, pouco ou nada se ouviu dele. O que aconteceu a Jefferson?

Nasceu e cresceu no Brasil. Jefferson Moreira Nascimento, natural de Campo Formoso, chegou  a representar dois colossos do futebol brasileiro, o Palmeiras e o Fluminense, mas sem nunca ter direito a muitos minutos. Foi talvez por isso (ou, porventura, fazendo jus ao nome do meio) que acabou por rumar à Amoreira, envergando a camisola canarinha do Estoril Praia, clube onde esteve emprestado em 2010/11.

De volta ao Brasil, tirando uma temporada no Náutico, em 2012, continuava sem grande espaço, pelo que nesse mesmo ano acabou por regressar ao emblema da linha de Cascais, desta vez a tempo inteiro. Foi uma passagem curta, já que, novamente, apenas lá ficou por uma época, mas conseguiu, finalmente, um tão ambicionado lugar na titularidade, apontando também cinco golos, dois deles a dois “grandes”, Sporting e Benfica.

Foi, de resto, uma época histórica para o Estoril. Os recém promovidos à Primeira Liga conseguiram, de imediato, acesso às competições europeias, graças a um inédito 5º lugar. Acontece que Jefferson não ficaria para contribuir na caminhada internacional canarinha, pois esperava-lhe uma mudança para os leões da capital, o Sporting Clube de Portugal.

A entrada em Alvalade foi “chegar, ver e vencer”, assumindo sem demoras a titularidade no lado esquerdo da defesa. Teve ainda direito a uma série de equipas técnicas de alta qualidade, numa altura em que o Sporting contou com treinadores como Leonardo Jardim, Marco Silva ou ainda Jorge Jesus.

No total, foram cinco anos de leão ao peito, celebrando as conquistas de duas Taças de Portugal, uma Taça da Liga e uma Supertaça. Com o tempo, no entanto, foi perdendo espaço, acabando mesmo emprestado ao SC Braga, em 2017/18. Pelos minhotos, contudo, foi peça chave no plantel arsenalista, na altura treinado por outro grande mister, Abel Ferreira, futuro campeão sul-americano pelo Palmeiras.

Ainda regressou ao Sporting, em 2018/19, carimbando a sua saída em definitivo com a conquista da Prova Rainha, numa época em que, de resto, já não era opção indiscutível do onze inicial leonino.

Já com 31 anos, dificilmente Jefferson poderia almejar voos mais altos, e tal foi mesmo o caso. Mudou-se para a Suíça, vestindo a camisola do Lugano, mas apenas somou oito jogos. Ainda assim, apontou um golo, algo que não conseguia desde fevereiro de 2015, num empate a uma bola diante do Benfica.

E onde anda Jefferson hoje em dia, estarão certamente a perguntar? Ao fim de um ano em terras helvéticas, o lateral esquerdo regressou a Portugal, jogando agora ao serviço do Casa Pia, equipa sensação da Segunda Liga, este ano, mas onde, até ao momento, ainda só registou 200 minutos de jogo.

Jefferson teve bons e maus momentos, mas a sua carreira certamente ficará para sempre associada à passagem pelo Sporting, emblema que carregou ao longo de meia década e cujos adeptos o lembram com um carinho especial, mais que não seja pela caricata boina militar, nos festejos das conquistas do clube.

 

Imagem: Sporting Clube de Portugal (Facebook)

Duarte Rosa

"Alfacinha" de gema, sportinguista de coração. Desde o clube à seleção nacional, o amor pela bola está presente desde cedo. A licenciar-se em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, esta paixão pela escrita e pelo futebol forma uma dupla interessante, que espera vir a agradar aos seus leitores.