Klopp fecha a porta à seleção alemã: “Não estou disponível”

No rescaldo da notícia referente a Joachim Löw, que abandonará o comando da seleção da Alemanha após o fim do próximo Europeu, Jürgen Klopp foi abordado com a possibilidade de vir a suceder ao selecionador no seu posto. A resposta do técnico do Liverpool, no entanto, foi um redondo: “não”.

A Federação Alemã de Futebol abanou hoje a imprensa inglesa com o anúncio de que o lugar do seu selecionador ficará vago após o fim do Europeu 2021, isto porque logo de seguida se iniciaram rumores acerca de um possível interesse de Jürgen Klopp em assumir o posto.

No entanto, o treinador do Liverpool foi perentório em rejeitar essa possibilidade, garantindo que o seu objetivo é cumprir o seu contrato com os reds. “Não, não estarei disponível como potencial selecionador alemão no verão ou depois do verão. Faltam-me três anos de contrato no Liverpool. É simples. Tu assinas um contrato e tentas cumpri-lo”, explicou Klopp numa conferência de imprensa de antevisão à segunda mão dos oitavos de final da Champions League frente ao Leipzig.

Jürgen Klopp não deixou de elogiar o percurso de Löw ao leme da Die Mannschaft, considerando que o selecionador fez “um trabalho incrível durante tantos anos”. “Percebo que ele queira dar este passo após um Europeu. E depois alguém fará o lugar. Bons treinadores alemães há imensos”, concluiu.

A permanência de Klopp no comando técnico do Liverpol tem sido um tema cada vez mais discutido por Terras de Sua Majestade devido à crise de resultados que tem assolado o clube inglês, que está atualmente fora dos lugares de acesso à Liga dos Campeões e registou apenas derrotas nos últimos seis jogos disputados em Anfield Road.

Fonte da imagem de capa: Twitter @FussballBR

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.