Quem te viu e quem te vê: Juan Quintero, o rebelde talentoso

Juan Quintero, passou pelo futebol nacional vestindo a camisola do FC Porto, contudo ficou muito aquém das espectativas que havia sobre ele. Hoje recordamos, na rúbrica “Quem te viu e quem te vê”, o rebelde talentoso que se perdeu no tempo.

Chegou a Portugal pela mão dos azuis e brancos, como uma grande promessa, mas nem tudo correu como planeado. Fica a ideia no ar de que o jogador podia ter feito mais, mas não é preciso ter só bons pés para se ser um bom jogador de futebol.

Quintero estreou-se em 2012, como jogador profissional no seu país de origem, a Colômbia, ao serviço do CD Nacional. A sua primeira temporada na primeira liga colombiana, ficou marcada por ter realizado uma boa campanha, onde apontou dois golos em 22 jogos. Atentos ao talento do médio ofensivo, os dirigentes do clube italiano, Pescara, abriram as portas ao sul-americano para jogar na Europa. Mesmo não tendo realizado uma época fascinante ao serviço do clube italiano, o seu talento incontornável não passou despercebido e o FC Porto, demonstrou interesse no jovem jogador.

Depois de uma temporada em que os azuis e brancos conquistaram mais um titulo, estes ficaram desfalcados, pois muitos dos seus jogadores-chave saíram e o clube precisava urgentemente de soluções para as lacunas que se foram criando. Foi a saída do seu conterrâneo, James Rodriguez, que abriu a porta do FC Porto a Quintero. Contudo, desde cedo o médio não ficou bem visto devido às suas saídas à noite, deixando de lado o mais importante, neste caso, o futebol.  Mesmo tendo ido para a equipa B na sua chegada ao dragão, só disputou um jogo nesse escalão. Depressa foi convocado por Paulo Fonseca para a equipa principal, para comandar o meio-campo azul e branco, papel que cumpriu humildemente, a nível individual (realizou 34 jogos e apontou quatro golos). Nessa mesma temporada (2013/2014), o FC Porto não apresentou bons resultados e a falta de conquistas e títulos, foi um fator que deixou o jovem jogador com uma imagem não tão boa como o mesmo tentou deixar.

A chegada de Lopetegui na temporada seguinte, levou a que houvessem várias mexidas no plantel dos dragões, mas Juan Quintero ficou aos comandos do técnico espanhol. Nessa época, o médio realizou 30 jogos e apontou três golos, contudo as exibições coletivas do clube azul e branco foram um fator com muito peso, mais uma vez.

Duas épocas passaram ao serviço do FC Porto, sem nunca se ter afirmado totalmente, foi emprestado por Lopetegui ao clube francês, Rennes FC, em 2015/2016, numa temporada que deixou muito por ver por parte do colombiano. A saída de Lopetegui deu lugar a Nuno Espirito Santo, que optou por deixar Quintero de fora, tendo este sido emprestado ao CD Independente Medellín, na sua terra natal, Colômbia. Foi no seu retorno às origens que o médio demonstrou a sua veia goleadora, onde fez abanar as redes por 16 vezes em 33 partidas (melhor época até ao momento). Os números dessa temporada despertaram interesse do CA River Plate, que o chamou para vestir as suas cores, ainda sob empréstimo do clube azul e branco.

O Mundial de 2018, foi um marco importante para o médio, pois a sua campanha ao serviço da Colômbia foi bastante boa. Nesse mesmo ano foi decisivo ao serviço da sua nova equipa, River Plate, na conquista da Taça dos Libertadores. Esta fase de boa forma, fez com que Quintero fosse adquirido na totalidade pelo clube argentino. Ao serviço dos millionários, o médio disputou 60 partidas e apontou 12 golos.

Depois de ter sido acusado de ter perdido o gosto pelo futebol devido às suas repetitivas saídas noturnas, Quintero voltou à ribalta para uma segunda oportunidade que o futebol lhe deu. No passado dia 1 de março foi oficializado no clube chinês, Shenzhen num negócio que rendeu cerca de oito milhões ao River Plate, sendo que o FC Porto ainda tem direito a 20 por cento desse valor, ou seja, €1,6 milhões.

Quintero já nos mostrou que tem magia: tem um bom toque de bola; uma visão de jogo como poucos e uma boa capacidade defensiva apesar de desempenhar o papel de médio-ofensivo. Esperemos que a nova aventura na China lhe traga ainda mais vontade de jogar futebol e de mostrar ao mundo o talento que ainda guarda dentro de si.

 

Fonte da imagem: Twitter JuanFer Quintero

Emanuel Brasil

Nasci na cidade mais alta de Portugal e foi aqui que comecei a dar os primeiros toques no mundo da bola e a acompanhar os mesmos com a escrita que dá brilho ao jogo fora das quatro linhas. Com a bola de um lado e a caneta do outro, acabei por me licenciar em Ciências da Comunicação na UBI e onde tiro agora, o mestrado em jornalismo.