Históricos: Final Liga dos Campeões 1997 – A alegria alemã e o início do desespero italiano

A Juventus é dos maiores clubes, não só de Itália, mas de todo o mundo. O seu palmarés de troféus reflete anos de incontáveis glórias que fizeram do clube transalpino uma das marcas mais tradicionais no mundo do futebol.

É o clube com mais Ligas Italianas ( 36 títulos ), juntamente com os 13 títulos da Taça de Itália e 9 Supertaças de Itália.  Nas competições internacionais, conta-se os 3 títulos da Taça UEFA/Liga Europa ( 1976-77; 1989-90 e 1992-93 ) e os 2 títulos da Liga dos Campeões ( 1984-85 e 1995-96 ).

No entanto, a equipa da cidade de Turim tem sido fortemente criticada nos últimos anos no seu falhanço em reconquistar o trono da liga milionária, trono esse que foge há 25 longos anos. E, para muitos, o começo desta trajetória trágica teve início numa das finais mais surpreendentes da maior competição de clubes do mundo.

Na Liga dos Campeões de 1996-97, a campeã em título Juventus procurava conquistar a prova pelo segundo ano consecutivo. Para isso, tinha um plantel recheado de estrelas, entre as quais se encontravam Didier Deschamps; Zinedine Zidane; Christian Vieri e Alessandro Del Piero.

Treinados pelo conceituado Marcello Lipi, os italianos eram os principais favoritos  à entrada para a final, tendo acabado a fase de grupos no primeiro lugar à frente do Manchester United ( 16 e 9 pontos respetivamente ) e superado tranquilamente o Rosenborg e o Ajax na fase a eliminar.

O adversário? O “Underdog” Borussia Dortmund, do português Paulo Sousa.

Ao contrário da poderosa Juventus, os alemães, terceiros classificados na Bundesliga, não tiveram um percurso tão fácil quanto os transalpinos. Na fase de grupos, terminaram em segundo lugar com os mesmos pontos do primeiro classificado, Atlético de Madrid.

Depois de vencer o Auxerre nos quartos-de-final, o histórico clube alemão derrubou o gigante Manchester United nas meias-finais para garantir a participação no jogo decisivo, realizado no Estádio Olímpico de Munique.

Desta forma, o Dortmund tinha a possibilidade de realizar um conto de fadas: vencer, em pleno solo alemão, um dos maiores clubes do mundo e conquistar o seu primeiro grande troféu internacional. E embora muitos esperassem uma Juventus dominadora, acabou mesmo por ser a equipa alemã a levar para casa o título de forma convincente.

A 28 de Maio de 1997, a “Vecchia Signora” foi praticamente cilindrada pela máquina futebolística bávara. O pragmatismo alemão desmoronou a defesa italiana, que à saída para os balneários já se encontrava a perder por 2-0, graças ao bis do avançado Riedle.

O golo de Del Piero aos 65 minutos ainda deu esperanças aos “Bianconeri”, mas o jogo ficou decidido pouco depois, aos 71 minutos, com o golo de Ricken.

No final, toda a Alemanha celebrava um dos maiores feitos do futebol germânico, naquela que foi uma história de superação e determinação. Já para a Juventus, este foi apenas o primeiro passo numa longa travessia do deserto.

Fonte da imagem: https://www.dfb.de/en/news/detail/bvb-vs-juventus-a-game-steeped-in-tradition-116968/full/1/?no_cache=1&cHash=01b017cb7f01b9e21471ea2cb6e482df