Champions League – os últimos oito

Como seria de esperar, os oitavos de final da conceituada UEFA Champions League trouxeram-nos, grandes confrontos, golos do outro mundo, muita emoção, algumas surpresas e, sobretudo, bom futebol. Fique com o resumo da eliminatória.

SS Lazio 2 x 6 FC BAYERN DE MUNIQUE

Um desfecho que já era esperado. Duas equipas com argumentos muito diferentes; se de um lado estava o clube campeão da europa e do mundo, do outro estava uma formação que milita no sétimo lugar da liga italiana. A eliminatória ficou praticamente fechada na primeira mão, quando, em Itália, o Bayern goleou a equipa da casa por quatro bolas a uma; na primeira parte, o resultado já era de 0-3 para os visitantes e, para o resto da eliminatória, foi só gerir o resultado. Umas semanas depois, a jogar em casa, o Bayern, sem meter muito o pé no acelerador, voltou a vencer, desta feita por 2-1. Um teste de dificuldade reduzida para aquele que é o detentor da competição e, muito provavelmente, o principal favorito à conquista da prova este ano.

Sevilla FC 4 x 5 BV BORUSSIA DORTMUND

Duas partidas muito interessantes de acompanhar. Uma eliminatória que prometia muitos golos e cumpriu. Na primeira mão, jogada em Espanha, no Ramón Sanchéz Pizjuán, a equipa da casa até se adiantou no marcador, com um golo de Suso, no entanto, o cyborg noruguês, Erling Haaland, acordou e, em 24 minutos, assistiu um e marcou dois. Na segunda parte, um golo de Luuk de Jong reduziu a desvantagem dos espanhóis e colocou o resultado final em 3-2, deixando assim a eliminatória em aberto e a ser decidida no jogo da segunda mão. Na Alemanha, ocorreu um duelo interessante entre os dois matadores de serviço, Haaland e En Nesyri; cada um fez dois golos, e a equipa da casa acabou por garantir o ingresso na próxima ronda. Um bom desafio ultrapassado com sucesso pelo Dortmund, que, apesar de não considerar que seja um candidato a “levantar o caneco”, pode e, certamente, vai criar muitas dificuldades à próxima equipa que apanhar pela frente.

Club Atlético de Madrid 0 x 3 CHELSEA FC

Diria que foi um jogo em que as duas formações surpreenderam; o Chelsea pela positiva e o Atlético pela negativa. Durante os 180 minutos jogados, a equipa de Simeone nunca pareceu realmente que queria ganhar e ficou um pouco aquém das expectativas, visto que até tem em sua posse um plantel que tinha tudo para “ir para cima” e olhar a formação de Tuchel “olhos nos olhos”; foram demasiado pragmáticos e não tinham assim tantos motivos para isso e, como é lógico, o Chelsea aproveitou. A equipa de Tuchel mostra-se forte nos vários momentos do jogo e aproveitou a apatia dos adversários para ganhar ambas as partidas, na primeira por um golo e na segunda por dois. Este Chelsea de Tuchel é uma equipa que tem vindo a crescer e, dependendo do adversário que o sorteio dite, podem muito bem discutir a próxima eliminatória.

Borussia M’Gladbach 0 x 4 MAN. CITY FC

Um pouco à semelhança dos jogos entre a Lázio e o Bayern, este Borussia vs City também não teve surpresas e os ingleses atropelaram os alemães. O Borussia atravessa um mau momento de forma (não vencem desde 3 de fevereiro) e os cityzens agradecem. Duas vitórias por duas bolas a zero e dois jogos sem golos sofridos. Passagem sem espinhas para a turma de Pep Guardiola, que é cada vez mais candidata a vencer a prova.

Atalanta BC 1 x 4 REAL MADRID CF 

O resultado é enganador, pois a eliminatória não foi assim tão fácil para os Los Blancos. O primeiro jogo começou com uma ligeira superioridade dos italianos, no entanto, uma expulsão acabou por equilibrar o jogo e, no segundo tempo desse mesmo jogo, apesar do Real estar por cima no jogo, a Atalanta defendia muito bem e mostrava-se um osso duro de roer. Acabou por valer um golo do meio da rua do francês Mendy para dar a vitória à equipa mais titulada da competição. A segunda mão, apesar de não ter sido de um domínio avassalador, foi mais forte por parte dos espanhóis e, consequentemente, deu-lhes a passagem. Já não são os galácticos que foram outrora, no entanto não deixam de pertencer ao lote de equipas que pode levar de vencida esta competição.

RB Leipzing 0 x 4 LIVERPOOL FC

Os reds a mostrarem duas facetas esta temporada. Há, claramente, neste ano, uma versão do Liverpool na liga inglesa e outra versão na liga milionária. Com uma prestação para esquecer no campeonato, todas as energias da equipa de Anfield estão viradas para a Champions, nos dois jogos, assim como aconteceu com o Man. City, a formação inglesa venceu por 2-0. Esperava-se mais deste Leipzig, que na temporada passada chegou às meias-finais da competição. Agora, o Liverpool creio que continua a ser uma equipa com hipóteses de vencer a prova, no entanto, penso que não são um candidato tão forte como foram noutros anos.

FC Barcelona 2 x 5 PARIS SG

Desta vez não houve remontada. Uma primeira mão absolutamente fantástica da equipa francesa (e de Mbappé) carimbou a passagem. Os parisienses vieram a Barcelona e cilindraram (1-4) por completo uma equipa desnorteada do Barcelona. No segundo jogo, os visitantes bem tentaram fazer pela vida, com vista a uma segunda edição da famosa remontada, no entanto, um “super Keylor Navas” tinha outras ideias e segurou o empate no jogo e a vitória na eliminatória. O PSG segue na competição e, a meu ver, estão no mesmo grupo do que Bayern de Munique e Manchester City, como favoritos à conquista da prova, no entanto, por não serem uma equipa tão regular como as outras duas, creio que partem com uma ligeiríssima desvantagem.

FC PORTO 4 x 4 Juventus FC

Como portugueses, o jogo mais aguardado por todos. Previam-se duas partidas complicadas, e não deixaram de ser, no entanto, um Porto bem à sua imagem e ao seu melhor nível, conseguiu ultrapassar esta Juve. Fala-se muito que esta Juventus “não jogou nada”, o que não deixa de ser verdade, no entanto, foi muito por “culpa” do Porto, os dragões souberam explorar as fraquezas dos italianos (as dificuldades na primeira fase de construção, como foi visto no golo de Taremi) e fizeram das suas fraquezas, as suas maiores forças, ou seja, o Porto vinha a ser uma equipa que passava alguns “sustos” na sua defesa (exemplo do jogo contra o Braga para a Taça de Portugal) e que era pouco concretizadora no ataque (exemplo do jogo frente ao Marítimo e Sporting) e, nesse jogo em Itália, foi uma equipa que soube aproveitar bem as oportunidades que teve e, apesar dos três golos sofridas, foi extremamente forte no processo defensivo, mesmo com menos um em campo. A equipa de Sérgio Conceição é uma equipa talhada para estes palcos e para estes jogos grandes. Posto isto, o Porto passou e passou bem. Agora, penso que, caso não calhe ao Porto nenhuma das três equipas que já referi do lote de favoritas, os dragões têm todas as hipóteses de passar; caso o sorteio ponha a formação de Sérgio Conceição frente a uma dessas três equipas, creio que a tarefa complica, no entanto, como os dragões já fizeram questão de mostrar, não há impossíveis e se há equipa que está disposta a lutar e a não dar nada como perdido, é este Porto.

Fonte das imagens: Twitter da UEFA Champions League

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.