Opinião: O Futebol é dos Adeptos

Ao longo de vários anos, o Futebol tem vindo a evoluir. Esta evolução não tem só sido desportiva, mas também histórica. Grandes clubes foram para baixo e voltaram a subir. Alguns apenas conseguiram uma época de glória mas, ainda assim, brilharam, enquanto que outros ainda procuram a grandiosidade.

Claro que, e também ao longo da história, foram sendo definidos aqueles que são os Gigantes do Futebol, que se estabeleceram pelos seus feitos dentro das quatro linhas. Clubes como Real Madrid, Barcelona, Bayern Munique, Mancehster United, Liverpool, entre outros, são inegavelmente enormes clubes conhecidos pelos quatro cantos do Mundo.

O que torna o “Desporto-Rei” tão bonito é, no entanto, a imprevisibilidade. São conhecidas as histórias de clubes mais pequenos que fizeram grandes feitos, que nos fizeram apaixonar ainda mais pelo Futebol: o Leicester City campeão de 2015-16, o FC Porto campeão europeu de 2003-04, a Dinamarca campeã da Europa de 1992, entre tantos outros não mencionados. Clubes que eram teoricamente mais fracos que a competição e que, com algo que vai para além dos números e da lógica, se “agigantaram” perante grandes adversários no caminho até à glória.

Se é este efeito que nos apaixona pelo Futebol, e se a evolução tem ajudado no processo, qual é o problema? O problema está na nova revolução: financeira. De há uns anos para cá, é sabido que temos tido cada vez mais contratações milionárias, com números que não é possível às vezes sequer imaginar. A fonte deste dinheiro é algo transparente: os direitos televisivos e as publicidades têm vindo a dar cada vez mais lucro aos clubes.
O problema, no entanto, não está necessariamente aqui. A UEFA pretende instaurar um novo sistema na Liga dos Campeões. O modelo suíço substituirá a fase a eliminar, com as equipas a defrontarem-se entre si. Isto significa mais jogos, logo, maior encaixe financeiro.

Se à partida não parece problemático, esta diferença só servirá para acentuar as diferenças. Mais jogos não significa melhores jogos. Apenas mais dinheiro a entrar. Os ricos ficarão mais ricos e haverá um maior fosso entre clubes grandes e pequenos.
O preço dos bilhetes continua a aumentar, afastando ainda mais os verdadeiros Adeptos dos estádios, sobretudo nas competições europeias. O excesso de jogos fará com que a fadiga física dos jogadores aumente, mas também que os próprios fãs se vão cansando do desporto. E este é um problema real. O futebol, um desporto acessível a todos, pode tornar-se duas coisas diferentes: um desporto que existe nos níveis mais baixos e outro que existe entre clubes maiores, sem que uns e outros se toquem. Tornar-se-á um produto elitista, que nem todos poderão aproveitar, com os clubes mais pequenos a perderem o sonho de glória que muitas vezes as motiva.

E a palavra-chave é produto. A FSE, a Associação de Adeptos de Futebol da Europa, lançou um comunicado, partilhado em excertos na página de Instagram COPA 90 Além de ser mencionado o que foi escrito anteriormente, conclui com a seguinte frase: “O Futebol não é um produto. Não deve imitar os e-sports ou as franchises dos Estados Unidos, mas sim no seu valor-base. No entanto, se continuarem a tratá-lo como tal, vai tornar-se num produto. Substituível. Substituído por outro produto, melhor e mais novo.”

O Futebol precisa de dinheiro. O Futebol não é sobre o dinheiro. O Futebol não existe para fazer dinheiro. Para além desta nova Liga dos Campeões, já há muito se fala da Superliga Europeia, um campeonato apenas para os “melhores”. Esta ideia de mudar o sistema, diminuindo a possibilidade de grandes histórias, separando alguns clubes de todos os outros, não deve ser apoiada, mas sim banida. Fazê-lo é o mesmo que dizer que apenas alguns clubes são importantes porque dão mais dinheiro. Mas a importância dos clubes não está no dinheiro. A importância dos clubes está nos Adeptos, que têm o mesmo valor independentemente do clube que apoiem. O Futebol não é do dinheiro. O Futebol é dos Adeptos.

 

Link do artigo publicado pela COPA 90 no Instagram: https://www.instagram.com/p/CMUpVDIhVIW/
Fonte da imagem de capa: https://thefsa.org.uk/news/the-future-of-uefa-club-competitions-an-fse-perspective/