Brasileirão aprova limite de dois treinadores por época nos clubes

A Liga Brasileira aprovou na madrugada de ontem o “fim das danças de cadeiras dos técnicos brasileiros”. O órgão que rege o futebol brasileiro, em articulação com os 20 emblemas do campeonato, aprovou a introdução de um limite máximo de dois treinadores por época nos clubes.

O Conselho Técnico da Série A, em conjunto com a participação dos 20 emblemas do Brasileirão, aprovou que a partir da próxima temporada, os clubes estejam restritos a um máximo de dois treinadores por época, com uma maioria de 11 votos a favor contra nove contra a ter sido determinante para a regra ser imposta.

A medida já tinha sido apresentada pela Confederação Brasileira de Futebol em 2018, mas somente agora foi aprovada, com os clubes a passarem a estar permitidos a apenas duas inscrições de treinadores por época, sendo que, em caso de segunda demissão, o próximo treinador tem obrigatoriamente de ser alguém que já esteja em funções dentro do emblema há pelo menos seis meses.

É de salientar ainda que o clube não fica abrangido pelo limite caso a demissão venha da parte do próprio treinador, ainda que nesse cenário, o treinador que se demita apenas possa voltar a ser inscrito por uma única vez na temporada e, caso volte a pedir demissão, seja impedido de voltar a treinar no Brasileirão até ao começo da época seguinte.

Rogério Caboclo, presidente da CBF, reagiu com satisfação à aprovação da medida, considerando tratar-se de “um grande avanço do futebol brasileiro, que fará bem tanto aos clubes quanto aos treinadores” e que vai ” implicar uma relação mais madura e profissional e permitir trabalhos mais longos e consistentes”.

“É o fim da dança das cadeiras dos técnicos no futebol brasileiro”, anunciou.

 

Fonte da imagem de capa: Twitter @HTE__Sports

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.