Crónica: Luxemburgo vs Portugal – Armada lusa mantém invencibilidade a caminho do Qatar

Portugal foi a Luxemburgo com apenas duas mudanças no 11 que foi usado em Belgrado, mas demorou a entrar no jogo. O conjunto de Fernando Santos procurava voltar às vitórias depois do empate por 2-2 em Belgrado, enquanto que o Luxemburgo vinha de uma vitória surpresa por 1-0 frente à República da Irlanda.

Apenas aos 25 minutos é que Portugal rematou pela primeira vez, mas o livre batido por Ronaldo pouco perigo causou ao conjunto luxemburguês, com uma defesa fácil por parte de Anthony Moris.

E com o jogo dividido, foi o Luxemburgo que aproveitou. Primeiro a criar perigo ao minuto 30 num passe incisivo que deu lugar a um canto, e depois ainda aos 30 minutos, foi Gerson Rodrigues que nos ares bateu Anthony Lopes, dando assim a vantagem à sua equipa e chocando tudo e todos.

Naquela que foi uma primeira parte muito encaixada, foi a entrada forçada de Pedro Neto que mudou o jogo. Já nos descontos da primeira parte, uma jogada individual do jogador dos Wolves na ala esquerda deu lugar a um cruzamento que encontrou Diogo Jota no coração da grande área, empatando o jogo e restabelecendo a igualdade antes das equipas voltarem aos balneários.

Nos segundos 45 minutos, Portugal apareceu. Logo aos 52 minutos, Cristiano Ronaldo aparece na área para virar o resultado, chegando assim ao golo 103 com a camisola portuguesa, e tranquilizando a seleção.

A avalanche ofensiva continuou, primeiro com um remate cruzado venenoso de Nuno Mendes que passou perto do poste direito do guarda-redes luxemburguês, e depois com um cabeceamento de Jota aos 60 minutos que foi direto à barra.

O Luxemburgo não parecia o mesmo conjunto que tinha disputado os primeiros 45 minutos, e apenas de livre aos 70 minutos assustou a baliza de Anthony Lopes, que mostrou-se presente afastando a bola para canto.

Depois, e ainda antes de cair o pano, João Palhinha estreou-se a marcar pela Seleção Portuguesa com mais uma assistência de Pedro Neto, que pareceu trazer a mudança que Portugal precisava a sair do banco.

Apesar de não terem sido uns 90 minutos brilhantes, mais três pontos importantes a caminho do Mundial do Qatar em 2022 foram conquistados e a armada lusa já começa a traçar a rota até ao Médio Oriente.

Fonte da imagem: twitter.com/selecaoportugal