Kroos junta-se às críticas ao Mundial no Catar: “É um erro absolutamente inaceitável”

O Campeonato do Mundo de 2022, a realizar-se no Catar, tem sido alvo de várias críticas internacionais devido a alegadas condições laborais desumanas na construção dos vários estádios que vão acolher os jogos do torneio. Agora, é Toni Kroos, internacional alemão, que espelha o seu descontentamento com o local escolhido para a realização da competição.

O médio do Real Madrid, em direto para o podcast Einfach mal Luppen, que dirige junto do irmão Felix Kroos, denunciou as condições precárias a que os trabalhadores estão sujeitos. “Os imigrantes são submetidos a jornadas de trabalho contínuas, sob temperaturas de 50º C, não são alimentados de forma condigna e não têm acesso a água potável”.

Aspetos como a falta de segurança no trabalho, violência, falta de cuidados médicos e a punição legal da homossexualidade no país foram outros dos aspetos enumerados pelo médio de 31 anos nas críticas à escolha do Catar para a organização do Mundial, uma escolha que nas suas palavras “é um erro absolutamente inaceitável”.

O jogador junta-se desta forma aos recentes protestos encabeçados pela seleção norueguesa, que vestiu camisolas a condenar a realização do Mundial no Catar nos últimos encontros de qualificação para a competição. As críticas internacionais à UEFA e ao Catar têm subido de tom desde o mês passado, altura em que a publicação de uma reportagem do jornal The Guardian revelou a morte de mais de 6.500 trabalhadores migrantes desde que o país foi escolhido para a organização do torneio.

Fonte da imagem de capa: Twitter @RealBrasil_BR

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.