Quem te viu e quem te vê: Nabil Ghilas

Nesta edição, recordamos a carreira do avançado argelino que, a certa altura, parecia ser a grande esperança da seleção da Argélia e, a par de Islam Slimani, levar os norte africanos a mais um título da CAN (que acabou por acontecer, mas sem o jogador na equipa). Prometia muito quando apareceu no cenário da Liga Portuguesa, mas rapidamente baixou de rendimento, impedindo-o de cumprir o seu potencial. Assim, vamos ver onde anda Nabil Ghilas nos dias que correm.

Ghilas nasceu em Marselha, em França, a 20 de abril de 1990. Em França apenas jogou futebol amador, por dois clubes locais da cidade: o Burel FC e o AJ Bosquet-Néréïdes. Ainda em França representou o Cassis Carnoux durante a época 2009/10, fazendo um golo em 23 jogos. Esta época foi suficiente para o Moreirense ver potencial no jogador e comprá-lo ao clube francês.

Assim que chegou a Moreira de Cónegos, Nabil Ghilas foi emprestado ao Vizela (época 2010/11), clube onde marcou 6 golos durante a época. Regressou ao Moreirense para ajudar o clube nortenho a subir à Primeira Liga na época 11/12. Ao longo desta época marcou quatro golos em 24 jogos.

No entanto, a sua melhor época estava por vir: na sua primeira temporada na Primeira Liga (2012/2013), o argelino marcou 13 golos na liga, sendo o 5º melhor marcador do campeonato, e 16 em todas as competições. O Moreirense acabaria por voltar a descer mas, Ghilas ganhou bastantes admiradores. Um deles o atual campeão em título, o FC Porto, que acabaria por pagar três milhões de euros pelo passe do jogador. Assinou um contrato válido por quatro épocas que incluía uma cláusula de rescisão estabelecida em 30 milhões de euros.

No Porto, Ghilas estreou-se frente ao Estoril num empate a duas bolas para o Campeonato. O primeiro golo chegaria mesmo frente ao Estoril, mas nos quartos de final da Taça de Portugal, jogo que o Porto venceu 2-1. Apenas voltaria a marcar mais três vezes pelos dragões, duas na Liga Europa e uma no campeonato.

Após prometer ser uma boa alternativa a Jackson Martínez, Ghilas não cumpriu e a sua estadia na ‘invicta’ foi mais curta do que se esperava, com os anos que se seguiram passados em empréstimos a vários clubes espanhóis e turcos. Na época 14/15 esteve em Córdoba, onde marcou sete golos em 27 partidas. Em 2015/16 esteve no Levante onde não marcou nenhum golo em 20 partidas na La Liga. Fechado este capítulo em Espanha, seguiu-se a Turquia, onde fez a última temporada em que estava contratualizado com o FC Porto. No Gaziantepspor fez 30 jogos e marcou 8 golos em todas as competições. No fim da época assinou pelo Göztepe e por lá passou duas épocas em que marcou sete golos.

A nível internacional, Ghilas foi convocado pela primeira vez à seleção Argelina (seleção pela qual optou por representar, tal como o seu irmão) em março de 2013, mas apenas em junho desse ano fez a sua estreia, na qual também se estreou a marcar. Foi chamado ao Mundial de 2014, no qual jogou seis minutos frente à Bélgica.

Após uma passagem pela Turquia, Ghilas regressaria a Portugal, desta feita para representar o Vitória FC. Na temporada 19/20, pelos sadinos, o argelino fez 19 jogos e encontrou a baliza por cinco vezes. No entanto, ainda antes de a época terminar, muito por causa da pandemia da Covid-19, o contrato de Ghilas com o Vitória foi rescindido.

O jogador encontra-se hoje sem clube, à espera da próxima oportunidade. Faz no próximo mês 31 anos e ainda podia ser uma opção interessante para vários clubes. Iremos seguramente estar atentos e ver por onde passa o futuro do jogador.

 

Imagem: Facebook Nabil Ghilas