Diakhaby e Cala mantém-se em lados opostos sobre polémica do Cádiz vs Valencia

O último domingo de futebol na LaLiga ficou marcado pela polémica do encontro entre o Cádiz e o Valencia, onde Diakhaby acabou por abandonar o terreno de jogo, seguido da restante equipa, após ter sofrido alegados abusos raciais por parte de Juan Cala, central do Cádiz. O central che abordou hoje o episódio, acusando Cala de lhe ter chamado “preto de m****”, enquanto que o defesa de 31 anos nega ter feito qualquer comentário racista e fala em “pura demagogia”.

Mouctar Diakhaby, central do Valencia, publicou hoje um vídeo nas suas redes sociais, abordando o infeliz episódio ocorrido no Estádio Ramón de Carranza, revelando os insultos de que foi alvo e apelando a uma ação por parte da Liga espanhola.

“Quero falar do que aconteceu em Cádiz, no domingo, porque após dois dias já estou muito tranquilo e quero falar. Houve uma jogada em que um jogador me insulta e as palavras foram: ‘Preto de m****’. Não posso aceitar isto. Todos viram a minha reação. Isto não pode acontecer na vida normal, especialmente no futebol”, lamentou o central de 24 anos.

“Eu e os meus colegas de equipa decidimos ir para os balneários e veio um jogador do Cádiz perguntar se caso o Cala pedisse desculpa, se voltaríamos ao campo. Eu e os meus colegas dissemos que não, porque as coisas não são assim”, revelou ainda Diakhaby, que termina o vídeo desejando que “a Liga espanhola consiga ter provas para que tudo fique claro e possa tomar ações”.

Juan Cala, em conferência de imprensa, também já deu a conhecer o seu lado da história, negando ter feito quaisquer insultos de teor racista e considerando estar a ser alvo de “pura demagogia”. “Não sei se o Diakhaby inventou, se ele interpretou mal… não sei. Estamos a jogar futebol sem adeptos, há 20-25 câmaras, microfones, jogadores árbitros e ninguém ouve nada. Se for verdade o que Diakhaby diz, amanhã deixo o futebol”, garantiu o central de 31 anos do Cádiz.

Fonte da imagem de capa: Twitter @geglobo

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.