Históricos: FC Porto vs SL Benfica 12/13 – Quem pensou que um golo mudasse tanta coisa

Olhamos hoje para um dos momentos que definiu o olhar de uma geração sobre o futebol português.

Sábado, dia 11 de Maio de 2013. Se perguntar a um adepto do Benfica ou do Porto, quase de certeza que lhe sabem dizer onde estavam nessa noite, no mítico minuto 92. Mas já lá vamos.

Estamos na época de 2012/2013 e o Benfica chega à 28ª jornada com 4 pontos de avanço sobre os rivais do norte. Importante relembrar que neste momento, apenas 16 equipas constituíam o campeonato português, e desta forma, o título parecia quase entregue ao conjunto de Jorge Jesus.

Mas antes da ida ao Estádio do Dragão, o Benfica perde pontos em casa frente ao Estoril ao empatar 1-1, e com uma vitória convincente na Madeira, os azuis e brancos encontravam-se a um mero ponto antes daquele que seria um decisivo Clássico.

E decisivo foi. Aos 19 minutos Lima abriu as hostilidades, pondo o Benfica na “pole position” na luta pelo campeonato. Mas, aos 28 minutos, foi Maxi Pereira (que viria a jogar no futuro pelo FC Porto) que com um auto-golo empatou o jogo.

Contudo, o melhor estava guardado para o final. Naquele que era um jogo disputado, Jesus abdicou do poderio ofensivo dos encarnados, substituindo Nico Gaitán por Roderick Miranda. Muitos acham que esta decisão foi fatal.

A verdade é que a equipa de Vítor Pereira ganhou o meio campo e começou a crescer no jogo.

Só faltava o golo. E ao minuto 79, numa tentativa de aumentar a mobilidade na transição ofensiva, entrou Kelvin para o lugar de Lucho González.

O brasileiro franzino, que contava com apenas 6 jogos na Liga até então, fez história. Numa equipa de jogadores que marcaram uma geração de adeptos portistas, nasceu um novo herói ao minuto 92.

Com a bola no canto esquerdo da área, um remate cruzado abanou as redes, e fez história. O estádio veio abaixo. Jorge Jesus ajoelhou-se. Interessante como um momento tão simples como um pontapé na bola consegue mexer tanto connosco. E naquela noite, aquele pontapé mexeu com a história do futebol português.

Com esta vitória, o Porto passou para primeiro lugar, sagrando-se assim campeão na jornada seguinte. Mas, talvez, este golo tenha afetado mais do que esta edição da liga portuguesa.

A verdade é que nas 7 épocas seguintes, o Porto só foi campeão em duas delas. O Benfica ganhou as outras 5 edições. Kelvin só voltou a jogar 16 vezes pelo conjunto azul e branco.

A verdade é que aquele golo marcou uma geração de futuros jogadores, treinadores, dirigentes e adeptos do futebol português. Por uma noite, Kelvin esteve no topo do mundo.

E foi assim que um franzino brasileiro guardou o seu lugar no coração de milhares de adeptos. Ele e o Estoril…