Superliga Europeia prestes a extinguir-se: apenas sobram Real Madrid e Barcelona

Um polémico projeto multimilionário que, a três dias da sua oficialização, está no limiar da extinção. Conhecidas as desistências dos seis clubes ingleses fundadores da competição na noite de ontem, terça-feira, também o Inter de Milão, AC Milan e Juventus já se demarcaram hoje do projeto, restando apenas o Real Madrid e o Barcelona nos clubes que ainda não se pronunciaram acerca do cancelamento da prova.

Com o Manchester City, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Tottenham e Chelsea a terem anunciado a sua desistência da Superliga Europeia na noite de ontem, devido às fortes críticas de que foram alvo por parte das suas massas adeptas, também os clubes italianos fundadores da competição anunciaram o seu afastamento do projeto.

Ambos os clubes de Milão foram os primeiros clubes transalpinos a anunciar a sua saída da Superliga Europeia através de comunicados oficiais, sendo que o Inter de Milão garantiu o seu compromisso “em proporcionar aos adeptos a melhor experiência futebolística“, enquanto que o AC Milan atribuiu a decisão à revolta dos seus adeptos.

As vozes e as preocupações dos fãs ao redor do mundo foram claramente expressas sobre a Superliga, e o AC Milan deve ser sensível à voz daqueles que amam este desporto maravilhoso“, anunciaram os rossoneri, que prometeram continuar a trabalhar para “entregar um modelo sustentável para o futebol“.

A Juventus não anunciou formalmente a sua desistência da Superliga Europeia, mas admitiu de forma oficial que o projeto “apresenta possibilidades reduzidas de ser concretizado nos moldes em que foi inicialmente concebido“, apesar de se manter “convicta da validade dos pressupostos desportivos, comerciais e legais do projeto”.

A retirada dos clubes italianos fundadores decorre no seguimento da desistência dos seis clubes ingleses fundadores da competição, anunciada ao longo da noite passada e à qual Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, já reagiu, mostrando-se satisfeito com a decisão tomada pelos emblemas.

Esses clubes cometeram um grande erro mas agora estão de volta e sei que têm muito a oferecer, não só às nossas competições mas a todo o futebol europeu“, salientou o líder da UEFA, que garantiu o foco no futuro e não no passado. “O importante agora é seguir em frente e reconstruir a unidade do desporto e seguirmos em frente – juntos“, frisou Ceferin.

Apenas o Real Madrid e o Barcelona restam enquanto clubes fundadores da Superliga Europeia que ainda não se desistiram do projeto, esperando-se uma saída de ambos nas próximas horas, tendo em conta a inviabilidade incontornável do mesmo. Com apenas três dias de existência, a Superliga Europeia gerou protestos em massa por parte de adeptos e várias personalidades políticas e ligadas ao futebol, afigurando-se cada vez mais perto a sua extinção oficial.

Fonte da imagem de capa: Twitter @LinhasQuatro

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.