Lembra-se de Samuel Eto’o, o “velhinho” com veia goleadora?

Nesta edição do Lembra-se de?, fique com Samuel Eto’o, o camaronês que jogou e fez furor por toda a Europa, e que ainda hoje é o único detentor de um recorde muito especial…

Samuel Eto’o, nascido em 1981 em Douala, nos Camarões, foi um jogador muito importante pelos clubes onde passou, especialmente no Barcelona. Rápido e inteligente, podia jogar pelo meio ou a partir da direita. Era vertiginoso no ataque aos espaços e um finalizador irrepreensível. Mas qual é a história deste jogador, e porque é que se tornou um histórico do futebol?

Eto’o chegou à Europa em 1997, não para o Barcelona, mas sim para o rival Real Madrid. Como ainda era menor, teve de jogar pela equipa B. No entanto, a equipa secundária do Real disputava na altura a Segunda Divisão B, que não permitia jogadores estrangeiros. Como tal, Eto’o foi emprestado a duas equipas do segundo escalão espanhol: o Leganés, onde fez 30 jogos e somou quatro golos, e o Espanyol, onde não chegou a jogar.

Eto’o foi emprestado ao Maiorca em 1999, e no final da época foi adquirido pelo clube em definitivo. Em Maiorca, conquistou a Taça do Rei de 2002-2003 e, em 2004, já era o melhor marcador da história do clube, com 70 golos. Nesse verão, transferiu-se para o Barcelona, por 24 milhões de euros. De notar que a atração pelo camaronês também foi causada pelo bicampeonato africano ganho ao serviço dos Camarões, em 2000 e 2002.

Foi na Catalunha que Eto’o mais brilhou. Conquistou todos os troféus mais que uma vez, atingiu o auge da sua carreira, quer em golos, quer em qualidade de jogo. Primeiro ao serviço de Rijkaard, depois durante uma época de Guardiola, Eto’o foi, juntamente com Messi, Ronaldinho ou Henry, um elemento preponderante para a vitória de vários títulos, incluíndo duas Ligas dos Campeões e um triplete (campeonato nacional, taça e Liga dos Campeões), por parte do conjunto blaugrana.

Após 13 anos em Espanha, Samuel Eto’o decidiu que a sua carreira passaria por Itália, pelas mãos de José Mourinho. O Inter adquiriu Eto’o por 46 milhões de euros, cedendo ainda os direitos de Ibrahimovic. Se Ibra não teve muito sucesso na sua época em Barcelona, Eto’o foi o oposto: mais uma vez, conquistou tudo o que havia para conquistar. Fica na memória a meia-final da Liga dos Campeões em que reencontrou o seu antigo clube: depois da vitória do Inter em casa por 3-1, os italianos jogaram mais de 60 minutos com menos um, e Eto’o fez uma brilhante exibição até como lateral direito!
Ainda hoje, o camaronês detém, entre vários recordes, o de ser o único jogador que venceu dois tripletes em duas épocas seguidas.

Eto’o, o único a conquistar dois tripletes em duas épocas seguidas.

Duas épocas e 52 golos marcados depois, Eto’o assumiu-se como figura principal do projeto do Anzhi, na Rússia, que se revelou um

Eto’o, o “velhinho” que precisa do apoio, no seu festejo em resposta às palavras de Mourinho.

fracasso.
Mourinho, agradado com o tempo que passou com o avançado, decidiu chamá-lo de novo para as suas ordens, desta vez no Chelsea, em 2013. No entanto, a segunda passagem do camaronês pelo comando do Special One foi problemática, levando àquele que foi, discutivelmente, o momento mais icónico da carreira do jogador: depois de José Mourinho o apelidar de “velho”, Eto’o marcou e celebrou como se fosse de facto um idoso, com dores nas costas e a precisar de um apoio.
Esta resposta a Mourinho não suscitou necessariamente amargura entre os dois, mas Eto’o só ficou uma época no Chelsea.

O avançado passou pelo Everton, antes de voltar a Itália à Sampdoria, para uma passagem de apenas seis meses. A sua carreira passou depois pela Turquia, pelo Antalyaspor e pelo Konyaspor, onde esteve quatro anos, antes de, a 6 de setembro de 2019, anunciar a sua reforma.

Samuel Eto’o viveu muitos anos na “sombra” de grandes nomes, como Ronaldinho, Messi ou Sneijder. Contudo, importa recordá-lo como aquilo que é: para além do recorde acima mencionado, ficou em terceiro para a Bola de Ouro em 2005 e em quinto em 2009, é o melhor marcador do Maiorca, bicampeão da CAN, melhor marcador de sempre da competição e da sua seleção. A lista continua, e depois de 718 jogos, 359 golos e 19 títulos, Eto’o merece ser relembrado como um dos melhores jogadores africanos que já praticaram o desporto.

 

Fonte das imagens:
Títulos de Eto’o: Instagram da Bleacher’s Report Football – @brfootball
Festejo de Eto’o: https://www.dailymail.co.uk/sport/article-2713200/Samuel-Eto-o-determined-prove-Jose-Mourinho-wrong-old-man-jibe-former-Chelsea-striker-seeks-Premier-League-move.html

Fonte da imagem de capa: https://sites.google.com/site/playerinf/foot-ball-stars/e