Benfica bate o Nacional por 3-1 na Madeira

O Benfica foi à Choupana bater o Nacional por 3-1, em jogo a contar para a 32ª jornada. Os encarnados estiveram em desvantagem durante grande parte do jogo, mas deram a volta depois das exibições inspiradas de Gonçalo Ramos e de Darwin, ambos vindos do banco.

Onze do Nacional: António Filipe; Rúben Freitas, Pedrão, Júlio César, Lucas Kal e Vigário; Éber Bessa, Alhassan e Azouni; Brayan Riascos e Pedro Mendes

Onze do Benfica: Helton Leite; Gilberto, Lucas Veríssimo, Otamendi e Nuno Tavares; Pedrinho, Weigl, Chiquinho e Cervi; Waldschmidt e Seferovic

Logo ao minuto 8, o Nacional da Madeira adiantou-se no marcador. Um canto vindo da esquerda foi desviado por um defesa do Benfica e foi parar ao segundo poste, onde Riascos apareceu e acertou no ferro. O central Pedrão aproveitou o ressalto e só teve de encostar. Riascos estava adiantado mas a bola veio de um jogador do Benfica, confirmando assim a legalidade do lance. 1-0 para a equipa da casa.

Os minutos iniciais da partida foram marcados pela superioridade dos insulares e pela incapacidade do Benfica para se organizar defensivamente e ofensivamente, e assim seria até ao intervalo. Poucas oportunidades claras de golo e pouca objetividade marcaram a primeira parte de um jogo onde o Nacional foi premiado por aproveitar a falta de concentração da defesa encarnada.

Já na segunda parte, aos 50 minutos, uma arrancada fantástica de Nuno Tavares resultou num remate de pé direito do defesa-esquerdo que só parou no fundo das redes. No entanto, o golo seria anulado pelo VAR depois de uma falta de Lucas Veríssimo no início da jogada.

Já aos 78 minutos, um remate de Seferovic, que iria desviado da baliza, bateu em Pedrão, que fez assim autogolo e empatou a partida a uma bola.

Ao minuto 81, Darwin arrancou pela ala esquerda e cruzou rasteiro para o centro da área, onde Gonçalo Ramos finalizou com frieza. 2-1 para as águias.

Gonçalo Ramos iria marcar o terceiro golo do Benfica e o segundo da conta pessoal, em mais um grande lance de Darwin vindo da ala esquerda. Um grande pormenor técnico tirou o defesa do Nacional do lance e permitiu um passe certeiro para o jovem ponta-de-lança, que rematou para o fundo das redes. 86 minutos jogados e 3-1 para o Benfica.

O Benfica fica assim a 4 pontos do FC Porto e mantém-se na luta pelo segundo lugar e pelo acesso direto à Liga dos Campeões, depois de uma exibição que deixou bastante a desejar coletivamente. Por outro lado, o Nacional mantem-se no último lugar do campeonato e está a cinco pontos do Rio Ave, primeira equipa acima da “linha de água”. Destaque para Gonçalo Ramos, que saltou do banco aos 74 minutos e resolveu a partida com dois golos, arrecadando ainda o prémio de melhor em campo.

 

Fonte da imagem de capa: Twitter- @FutbolPortugal