Curiosidades: como um vulcão mudou a carreira de Lewandowski

Em 2010 Lewandowski encontrava-se próximo de assinar pelo Blackburn Rovers e de se mudar para a Premier League quando um vulcão na Islândia mudou o rumo da carreira do avançado polaco. Descubra a história nas Curiosidades desta semana.

Lewandowski era em 2010 um dos principais jogadores a jogar no campeonato polaco. Com passagens pela segunda equipa do Legia de Varsóvia e pelo Znicz Pruszko o expoente da carreira do ponta de lança polaco na Polónia deu-se como titular no Lech Poznan. Após uma temporada de adaptação onde já tinha conseguido números muito bons e grandes exibições, a época 2009/2010 foi de afirmação para Lewandowski. Em apenas 28 jogos o polaco marcou 18 golos que ajudaram o Lech Poznan a sagrar-se campeão.

Fruto das boas exibições e da veia goleadora, o polaco passou a atrair a atenção de vários clubes europeus. Entre os clubes que demonstraram interesse em Lewandowski encontrava-se o Blackburn Rovers, orientado pelo icónico Sam Allardyce e que, à data, disputava a Premier League, por muitos considerada a melhor liga do mundo. Allardyce deslocou-se mesmo até à Polónia para falar pessoalmente com Lewandowski, que ficou empolgado com a possibilidade de atuar em Inglaterra.

A transferência acertou-se no fim da época 2009/2010 por cerca de quatro milhões de libras. Ficou também acordado que Lewandowski viajaria para Inglaterra, assistiria a um encontro entre o Blackburn Rovers e o Everton, conheceria as instalações do clube e depois assinaria ao contrato. No entanto, a viagem nunca se realizou por causa da erupção de um vulcão na Islândia.

Eyjafjallajökull é o nome do vulcão que paralisou o tráfego aéreo europeu e que cancelou a transferência de Lewandowski para o Blackburn Rovers. A primeira erupção deu-se a 20 de março de 2010, mas a fase de erupção que começou a 14 de abril de 2010 é que provocou o caos no tráfego aéreo. Milhões de voos foram cancelados, primeiro na Europa e depois em todo o mundo, o tráfego aéreo foi paralisado e o mundo do futebol foi, naturalmente, afetado. O impacto foi tal que, por exemplo, o Barcelona se deslocou de autocarro até Milão para disputar o jogo contra o Inter a contar para a Liga dos Campeões.

A viagem para Inglaterra foi adiada e, aproveitando a situação, o Borussia Dortmund entrou em cena. Fazendo uma proposta financeiramente mais favorável tanto para o Lech Poznan – cerca de quatro milhões e meio de euros – como para Lewandowski, e aproveitando-se da maior proximidade geográfica e cultural com a Polónia, país natal de Robert Lewandowski, o Dortmund captou o jovem talento.

Após a transferência falhada para Inglaterra, Lewandowski construiu uma carreira de respeito. Em quatro épocas no Dortmund marcou 103 golos em 187, e no Bayern de Munique, clube que ingressou a custo zero no ano de 2014, contabiliza até ao momento 289 golos em apenas 326.

Foi uma das grandes figuras do futebol mundial nos últimos anos e em 2020 foi mesmo considerado pela FIFA o melhor jogador do mundo. Marcou golos, fez grandes exibições e conquistou títulos nos maiores palcos do futebol europeu. Mas, a transferência falhada por culpa da natureza abre espaço à discussão sobre o que teria sido da carreira de Lewandowski se este tivesse assinado pelo Blackburn Rovers. Teria sido tão vitoriosa e gloriosa ou teria enfrentado dificuldades e nunca se teria assumido como protagonista? São questões hipotéticas que nunca serão respondidas…

Fonte da imagem de capa: Twitter @FTalentScout