Jovem promessa: Cristian Romero, o muro argentino que encantou Bérgamo

Neste fim-de-semana a Atalanta carimbou a terceira presença consecutiva na Liga dos Campeões, um feito enorme que corrobora o incrível trabalho de Gasperini. Esta época Romero foi um dos destaques do clube italiano.

Cristian Romero nasceu em Cordoba, na Argentina no dia 27 de abril de 1998. Fez a formação no Belgrano, clube da cidade natal e pelo qual se estreou com apenas 18 anos, num jogo contra o Independiente. No mesmo ano, estreou-se também em competições continentais, nomeadamente na Copa Sul-Americana, numa partida contra o Coritiba. O central jogou duas épocas na equipa principal do clube argentino nas quais disputou 19 jogos.

Em 2018, as portas do futebol europeu abriram-se a Romero pelas mãos do Génova, que adquiriu o seu passe por pouco mais de quatro milhões de euros. A primeira temporada de Romero no futebol europeu foi de grande nível: 27 jogos na Serie A, nos quais, além das boas performances defensivas, marcou dois golos e fez uma assistência.

Ciente do potencial do jovem argentino, a Juventus comprou Romero no fim da época 2018/2019 por 26 milhões de euros. No entanto, fruto da forte competição que enfrentaria no plantel – Chiellini, Bonucci, De Ligt, Rugani e Demiral – o central regressou ao Génova por empréstimo do clube de Turim. Foi novamente indiscutível e fez mais uma época de grande nível.

À entrada para a temporada que agora se aproxima a passos largos do fim, muitos criaram expectativas sobre a eventual presença de Romero no plantel da Juventus. Pirlo tinha sido anunciado como treinador da Juventus e sobre ele eram depositadas grandes esperanças, não só no plano exibicional, mas também no aproveitamento de jovens com potencial, como por exemplo Romero. No entanto, Romero foi novamente emprestado, desta vez à Atalanta e, neste momento, é possível dizer com toda a certeza que o argentino deu um passo em frente na carreira.

A Juventus apresentou um nível exibicional muito fraco, e as ideias de Pirlo, embora facilmente identificáveis, raramente foram bem executadas. Os resultados comprovam-no, com a eliminação precoce na Liga dos Campeões aos pés do Porto e com a perda da hegemonia interna e a possível ausência da Liga dos Campeões na próxima temporada (a uma jornada do fim a Juventus encontra-se em quinto lugar, lugar esse que não dá entrada na maior competição do futebol europeu). Já a Atalanta já tem confirmado o apuramento para a Liga dos Campeões do próximo ano, fez uma boa Liga dos Campeões (foi eliminada pelo poderoso Real Madrid) e chegou à final da Taça de Itália, onde Romero, curiosamente, encontrará… a Juventus.

Com um estilo de jogo bem definido, a Atalanta foi o ambiente perfeito para Romero, que rapidamente se afirmou como titular indiscutível no centro da linha de três defesas implementada por Gasperini. Fazendo uso da marcação individual traduzida em encaixes, cada jogador acompanha permanentemente um adversário definido previamente. Tal situação de jogo é perfeita para um jogador com as características de Romero. Forte fisicamente e com um bom jogo aéreo, Romero é capaz de ganhar a maioria dos duelos aos adversários. A marcação homem-a-homem também torna mais frequentes os cenários de um para um, onde Romero é bastante hábil. É mesmo o jogador com mais interceções por 90 minutos nas cinco principais ligas europeias, com uma média de 3,1. Porém, muitas vezes nem chega a tais situações pois Romero consegue ler o jogo e antecipar passes que depois facilmente interceta. A Atalanta é também uma equipa que gosta de jogar bom futebol, quer em construção desde trás, quer em transições rápidas, um cenário favorável a Romero que gosta de progredir com bola, mas também demonstra qualidade em colocar bolas em profundidade.

O impacto do central foi imediato. Neste momento, e quando ainda faltam dois jogos para o fim da temporada (a última jornada da Serie A contra o Milan e a final da taça contra a Juventus), o defesa central conta com 40 jogos, nos quais marcou três golos e contabilizou cinco assistências. Sete destes jogos foram na Liga dos Campeões, competição que assistiu a algumas das melhores partidas do argentino.

A evolução de Cristian Romero nesta temporada é notória, e muita dessa evolução se deve a Gasperini, que tem vindo a polir o diamante que é o defesa central. Mais focado e concentrado e com melhor leitura da partida, o jogo de Romero tem vindo a melhorar. É ainda algo imaturo e a disciplina é o principal problema do argentino, que viu 14 cartões amarelos na temporada. Todavia, independentemente de algumas abordagens erradas ou exageradas, o central é sem sombra de dúvidas um dos melhores a atuar na posição em Itália.

A estreia na seleção pode também estar para breve. Com sete jogos pelos sub-20 da Argentina, o jogador foi convocado por Scaloni para a dupla jornada de apuramento para o Mundial 2022, e pode estrear-se já em junho.

A presença na Atalanta na próxima época é ainda incerta. Embora seja neste momento uma questão de tempo para o clube de Bérgamo acionar a opção de compra no valor de 16 milhões, o jogador vem atraindo o interesse de alguns dos maiores clubes a atuar na Europa.

Independentemente do clube onde continuará a carreira, Cristian Romero é um dos jovens defesas a acompanhar no panorama europeu e a qualidade do argentino merece ser ressaltada após uma temporada brilhante.

 

Fonte da imagem de capa: Twitter @RedArmyBrasil