Villarreal vence Man. United e sela conquista inédita da Liga Europa

O Villarreal defrontou e venceu hoje o Man. United na final da Liga Europa. O Submarino Amarelo começou a vencer, através de um golo de Moreno na primeira parte, mas Cavani restituiu o empate no segundo tempo. Com a igualdade a permanecer até ao desempate por grandes penalidades, os protagonistas de ambas as equipas estiveram num período de excelência, tendo-se de aguardar até à conversão do 22º penálti para se conhecer o vencedor da competição. Rulli defendeu o remate de De Gea e selou a inédita conquista da Liga Europa para a turma de Unai Emery, que vence a prova pela quarta vez na sua carreira.

Gdansk, na Polónia, foi a cidade anfitriã da final da Liga Europa deste ano, onde Man. United e Villarreal disputaram entre si a conquista do troféu. O Man. United, com Bruno Fernandes a capitão, desde cedo demonstrou a iniciativa de partir para o ataque, perante um Villarreal retraído e preparado para tentar ferir os ingleses no contra-ataque. Antes da meia hora de jogo, tentativas de McTominay e Luke Shaw com relativo perigo não assustaram a turma de Unai Emery mas davam o mote da partida, com os espanhóis a fecharem-se no setor defensivo e apenas tentar responder ao volume ofensivo dos red devils com cantos pontuais, sempre ganhos pelos oponentes de Solksjaer.

Conseguindo aguentar o pendor ofensivo inglês, o Villarreal começou a pressionar mais à frente, desamarrando-se da sua postura defensiva e, no seguimento de uma falta de Cavani sobre Parejo perto do seu meio campo, aos 29´, marcou-se um lance de bola parada que o próprio médio espanhol decidiu cobrar. O seu cruzamento para a área acabou direitinho nos pés de Gerard Moreno, que se desmarcou no meio da área inglesa e bateu De Gea, fixando o 1-0 e igualando Pizzi e Borja Mayoral no topo da lista de melhores marcadores da competição, com sete golos marcados.

Moreno marcou o 82º golo pelo Villarreal e igualou Giuseppe Rossi na lista de melhores marcadores da história do clube

No segundo tempo, o Manchester United tinha de correr atrás do prejuízo e assim o fez. Aos 54´, Cavani aproveitou um ressalto na área do Villarreal, após um remate à entrada da área de Rashford, para encostar o esférico para dentro das redes de Rulli e empatar a partida. Os pupilos de Soksjaer respiraram de alívio com a chegada ao empate e continuaram donos da posse de bola, procurando encontrar espaço na organizada defesa espanhola para consumar a reviravolta no marcador. Rashford foi servido de bandeja para fazer isso mesmo aos 69´, ao receber um cruzamento certeiro de Bruno Fernandes pela direita, mas pecou na finalização, atirando ao lado. Logo a seguir, Cavani também esteve a uma “unha negra” de bisar, mas Pau Torres impediu que o cabeceamento do uruguaio entrasse na sua baliza.

O Man. United continuou a tentar chegar até ao segundo golo, mas o Villarreal fechou a sua baliza às sete chaves, mantendo-se o empate até ao fim do tempo regulamentar. No prolongamento, a partida ficou ainda mais repartida, uma vez que o Villarreal começou a avançar mais no terreno e a tentar chegar perto da baliza adversária, de forma a evitar a lotaria das grandes penalidades. No entanto, a quebra física e a concentração de ambos os setores defensivos levou a que o desfecho de desempate por grandes penalidades se tornasse cada vez mais inevitável à medida que o relógio avançava. A partir da marca dos 11 metros, a eficácia esteve ao rubro de ambas as partes, sendo que o vencedor apenas ficou definido no 11º penálti do Man. United, altura em que Rulli levou a melhor sobre De Gea e o Villarreal venceu assim a primeira competição europeia da sua história, enquanto que o seu técnico Unai Emery festeja a conquista da Liga Europa pela quarta vez na sua carreira.

Fonte das imagens: Twitter @EuropaLeague

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.