O EURO de: França – A clara favorita a vencer o Europeu?

A França é um dos países com mais tradição no futebol, com conquistas de nível europeu e mundial. Como seleção, os Les Bleus conquistaram 2 mundiais (1998 e 2018), 2 europeus (1984 e 2000), uma medalha de ouro olímpica (1984) e uma medalha de prata (1900).

Tal palmarés coloca inevitavelmente os franceses entre os favoritos a vencer qualquer competição em que participa. E este ano não é exceção. Estamos a falar de uma seleção campeã mundial e que conta atualmente com o plantel mais talentoso do mundo, com jogadores de classe mundial em todas as posições e até em escalões inferiores. Ora, prova disso é a seleção sub-21 francesa, que é constituída por jogadores que encaixariam perfeitamente no onze inicial da esmagadora maioria dos participantes do Euro. Jogadores como Aouar, Upamecano, Konaté, Camavinga, Ikoné e Diaby, entre outros, ficaram de fora dos 26 convocados de Didier Deschamps:

Guarda-redes: Hugo Lloris, Mike Maignan e Steve Mandanda;

Defesas: Lucas Digne, Léo Dubois, Lucas Hernández, Presnel Kimpembe, Jules Koundé, Clément Lenglet, Benjamin Pavard, Raphael Varane e Kourt Zouma;

Médios: N’Golo Kanté, Thomas Lemar, Paul Pogba, Adrien Rabiot, Moussa Sissoko e Corentin Tolisso;

Avançados: Wissam Ben Yedder, Karim Benzema, Kingsley Coman, Ousmane Dembélé, Olivier Giroud, Antoine Griezmann, Kylian Mbappé e Marcus Thuram.

Olhando para esta lista e para o onze que defrontou a Croácia na final do Mundial em 2018, apenas faltam Samuel Umtiti e Blaise Matuidi. Claro, são ambos jogadores de qualidade e que fazem falta, mas não tenho quaisquer dúvidas que qualquer um dos convocados consegue fazer um trabalho igualmente bom. Partindo do princípio que Deschamps vai usar novamente o 4-4-2 ou o 4-2-3-1, os franceses devem alinhar com um onze parecido com este: Lloris na baliza, o guardião e capitão deve manter-se entre os postes, Pavard a defesa direito, Lucas Hernández a defesa esquerdo (embora ache que Theo, seu irmão, tenha feito uma época superior e merecesse, no mínimo, ser convocado). Kimpembe fez uma época de altíssimo nível e é muito provável que alinhe no onze inicial ao lado de Varane. O “miolo” deverá ser constituído por Pogba e Kanté, dois grandes jogadores que provavelmente constituem a melhor e mais completa dupla de centrocampistas do mundo. Na direita, o fenómeno Kylian Mbappé, na esquerda, tenho algumas dúvidas. Lemar, Dembelé, Coman e até Thuram podem jogar neste lado, sendo que Ousmane Dembelé e Kingsley Coman têm sido os mais utilizados; a escolha deverá ser entre os dois. No ataque, Griezmann deve alinhar de início. O seu companheiro é que deixa mais dúvidas. Giroud é visto por muitos como o “favorito” de Deschamps, e é titular em quase todos os jogos da França, mas é impossível ignorar o regresso de Karim Benzema à seleção. Depois de todos os escândalos e todas as chatices com o selecionador, Karim viu a sua grande época ser recompensada. Embora continue a achar que Deschamps vai voltar a optar pela dupla Griezmann-Giroud, gostaria bastante de ver Benzema a jogar ao lado do avançado do Barcelona, não estando a desvalorizar a qualidade de Giroud.

Olhando para o hipotético onze da França, é de facto difícil ou até mesmo impossível apontar algum ponto fraco claro. Tratam-se de jogadores que se complementam perfeitamente, e é exatamente por isso que são os atuais campeões do mundo. É óbvio que existem algumas fraquezas, mas são poucas e pequenas. Existe uma enorme qualidade no onze inicial, e o banco está também recheado de jogadores fantásticos que só não são titulares porque se nacionalizaram franceses. Como disse no início relativamente aos sub-21, o banco da França teria lugar no onze inicial da grande maioria das seleções europeias (e mundiais).

Karim Benzema: Marca de vitória | UEFA EURO 2020 | UEFA.com

Estando no Grupo F, já apelidado como “grupo da morte”, juntamente com Portugal, Alemanha e Hungria, espera-se que os franceses fiquem em primeiro ou segundo lugar, mesmo jogando contra duas seleções fortes. Como portugueses, só podemos esperar que a França não esteja ao mais alto nível na altura em que defrontar Portugal, caso contrário o jogo vai se tornar extremamente complicado.

Dito isto, a França não é apenas uma das favoritas a vencer o Euro, a França é a principal favorita. Jogadores como Kimpembe, Kanté, Mbappé e Benzema chegam à seleção com destaque particular depois das excelentes épocas que fizeram ao serviço dos seus clubes e todo o plantel está certamente pronto para atacar o troféu que escapou no dia 10 de julho de 2016, face a uma certa seleção que contou com um herói improvável, levando 10 milhões de pessoas à loucura.

 

Fonte da foto de capa: VAVEL.com

Fonte da foto no texto: Uefa.com