EURO 2020 – Dia 11: Bélgica e Holanda fazem o pleno, Dinamarca goleia e Áustria surpreende

Foi dia de decisão para os grupos B e C deste Campeonato da Europa, que viram mais quatro seleções a chegarem à fase a eliminar. Ucrânia e Finlândia aguardam.

Em mais um dia da terceira jornada da fase de grupos, duas vagas de jogos decidiram mais dois grupos do torneio.

Holanda 3-o Macedónia do Norte

Num dos jogos do grupo B, a Holanda defrontou a Macedónia do Norte. Os holandeses procuravam o pleno, enquanto que a equipa estreante queria pontuar no seu primeiro grande torneio. Logo aos nove minutos, foi a Macedónia a abrir o marcador, no entanto, o golo foi anulado a Triokovski por fora-de-jogo. A partir daí, o jogo foi bastante mais controlado pela Holanda, que marcou aos 24 minutos por Memphis Depay, num contra-ataque conduzido em velocidade.
Na segunda parte, Depay viria a assistir Wijnaldum para o 2-0 aos 52 minutos. Gini Wijnaldum viria a bisar, após recarga. O jogo foi, depois, marcado pela guarda de honra feita pelos jogadores macedónios aquando da substituição de Goran Pandev, que se reformou depois do jogo de ontem.
Os holandeses acabam então com nove pontos conquistados em nove possíveis e lideram o grupo, a Macedónia do Norte não pontuou e, portanto, está fora do EURO 2020.

Ucrânia 0-1 Áustria

Na maior surpresa deste dia de competição, a Áustria bateu a Ucrânia por 1-0. O golo solitário de Baumgartner aos 21 minutos, em resposta a um canto batido por Alaba, foi suficiente para que os austríacos conquistassem os três pontos na partida. A partir desse momento, os ucranianos não conseguiram criar verdadeiro perigo, com a maior oportunidade da partida a ser da Áustria: aos 42 minutos, um contra-ataque da seleção austríaca culminou com Arnautovic, sozinho, a falhar a baliza.
Os austríacos somam seis pontos e passam em segundo lugar, os ucranianos, com três, aguardam pelos restantes terceiros lugares.

Finlândia 0-2 Bélgica

Às 20h, tiveram início os jogos do grupo C. A Bélgica, já apurada, mudou algumas peças do seu esquema e, ainda assim, não teve problemas em dominar o jogo. Depois de uma primeira parte sem grandes registos, o marcador abriu aos 65 minutos por Lukaku, a passe de Kevin De Bruyne. Contudo, o avançado do Inter viu o seu golo ser anulado pelo VAR por fora-de-jogo. Não tardaria a vir o golo válido: aos 74 minutos, Hradecky empurrou a bola para o fundo das próprias redes, após esta ressaltar no poste. Os belgas confirmaram a vantagem aos 81 minutos: a ligação De Bruyne-Lukaku voltou a fazer estragos, desta vez, com o golo a contar.
Assim, a Bélgica fez a totalidade dos nove possíveis pontos no grupo. A Finlândia ficou com três pontos e o terceiro lugar, devido à diferença de golos.

Dinamarca 4-1 Rússia

Os dinamarqueses receberam a Rússia com estádio cheio em Copenhaga, com a sua seleção a precisar de pontuar e de marcar. E foi isso mesmo que fez.
A primeira parte foi dominada pela Dinamarca e, aos 38 minutos, mais de 38 mil adeptos tiveram o prazer de ver Daamsgard, de apenas 20 anos, a marcar um golo de levantar o estádio. Um remate colocado de fora de área deixou Safonov pregado ao chão, sem hipótese de defesa.
Aos 58 minutos, um atraso de bola de Kusyaev não encontrou o guarda-redes, mas sim Yussuf Poulsen. Sozinho e de baliza aberta, o avançado do RB Leipzig não perdoou o erro e aumentou a vantagem para 2-0.
Artem Dzyuba reduziu de penálti aos 70 minutos, dando esperanças de um possível empate e, consequentemente, o apuramento garantido. Contudo, os grandes golos não estavam reservados para o primeiro tempo. Aos 79 minutos, após jogada de insistência da Dinamarca, a seleção russa aliviou para fora de área. A mais de 20 metros da baliza, foi o central Christensen que, com um remate potente de primeira, colocou a bola, sempre em rota ascendente, no fundo das redes, aumentando a vantagem para 3-1. Logo aos 82 minutos, em jogada de contra-ataque, os dinamarqueses selaram a vitória com um golo de Maele.
Com a diferença de golos, a Dinamarca conseguiu, após uma grande exibição, garantir o segundo lugar, com três pontos. O feito, que parecia impossível, foi conseguido após chegarem ao último jogo sem pontuarem e com saldo negativo de golos. Fica assim uma bela homenagem a Christian Eriksen que, não podendo ajudar no campo, viu os seus companheiros (também por si) a alcançarem a próxima fase. A Rússia, por seu turno, com esta pesada derrota, viu desaparecer qualquer hipótese de apuramento, uma vez que, apesar dos três pontos também conquistados, a sua diferença de golos empurra a equipa para o último lugar do grupo. Uma queda surpreendente para uma seleção que chegou aos quartos-de-final do último Mundial, onde só foi eliminada nas grandes penalidades pela Croácia, vice-campeã do Mundo.

 

Fonte da imagem: Twitter do UEFA EURO 2020 – @euro2020