Juventus empata com AC Milan e continua sem vencer na Serie A

A Juventus recebeu hoje o AC Milan, em jogo a contar para a quarta jornada do Campeonato Italiano. Até à hora do começo da partida, os rossoneri encontravam-se no terceiro lugar da tabela, depois de terem vencido os três jogos que disputaram até agora na Serie A, e uma vitória significaria a liderança isolada do campeonato. Situação diferente vivida pela equipa da casa, a Juventus, que ainda não sabe o que é ganhar à entrada da jornada 4, depois de um empate e de duas derrotas.

11 da Juventus: Szczesny, Chiellini, Danilo, Alex Sandro, Bonucci, Cuadrado, Rabiot, Locatelli, Bentancur, Morata e Dybala

11 do AC Milan: Maignan, Tomori, Kjaer, Romagnoli, Theo Hernández, Kessie, Tonali, Saelemaekers, Brahim Díaz, Rafael Leão e Rebic

Aos quatro minutos, um contra-ataque rápido da Juventus consequente de um canto do Milan permitiu isolar Álvaro Morata que, frente a Maignan e perseguido pelo velocíssimo Theo Hernández, finalizou de forma exemplar, com um “chapéu”. Destaque também para o passe fantástico de Dybala, que descobriu o espanhol e o deixou cara a cara com o guarda-redes. A equipa caseira entrava assim desde cedo com o pé direito na partida, no golo mais madrugador em partidas entre as duas equipas desde 1996. 1-0.

A partir do golo, o jogo apresentou-se dividido entre as duas equipas, com oportunidades semelhantes para ambas as equipas. Ao minuto 36, o dinamarquês Simon Kjaer contraiu uma lesão muscular e teve de ser substituído, entrando o jovem central francês Pierre Kalulu.

Ao intervalo, era o golo de Morata, logo aos três minutos, que fazia toda a diferença. Poucas oportunidades claras de golo para a Juventus, ainda menos para o Milan, posse de bola igualmente dividida (50% para ambos os lados) e um jogo abaixo das expetativas no geral. Pedia-se à equipa de Pioli uma reação à desvantagem e uma atitude diferente, necessária face a uma Juventus bastante mais sólida do que se tem visto até agora no campeonato italiano, sendo estes provavelmente os melhores 45 minutos de futebol que a turma de Allegri apresentou até à data na Serie A.

O início da segunda parte foi mais do mesmo: um Milan a atacar sem nexo e sem criar perigo e uma Juventus confortável com o golo que marcou e sólida a defender a vantagem.

Imagem

Mas foi a partir dos 60 minutos que o jogo começou a fazer jus à sua dimensão. Ataques mais concisos começaram a surgir de ambos os lados, agitando o jogo por completo. Ao minuto 76, iria surgir o golo do empate. Um canto na direita, cobrado por Tonali, foi teleguiado para a cabeça de Ante Rebic, que se encontrava completamente isolado no centro da área dos bianconeri. Erro de marcação da Juventus que se mostrou fatal e que permitiu ao Milan sonhar ainda com a vitória. Destaque para Rebic: o croata marcou nos últimos três jogos contra a Juventus. 1-1.

O clássico italiano acabava assim empatado a uma bola. Depois de uma primeira parte apagada de ambos os lados, tirando o golo, a segunda parte mostrou uma face diferente. Mais ataques, mais qualidade de futebol e um jogo mais agradável de se ver. A Juventus confirma assim a má fase, com zero vitórias em quatro jogos.

 

Fonte da primeira foto:  Twitter – @ACMilan_Brasil

Fonte da foto de capa: Twitter oficial do AC Milan