West Ham 1-2 Manchester United – Emoção até ao apito final na vitória dos Red Devils

Os Hammers receberam o United em jogo para a quinta jornada da Premier League, numa partida disputada até ao último segundo.

O Estádio de Londres prometia uma partida emocionante entre West Ham e Manchester United. Em dia chuvoso, David Moyes escolheu apostar em Vlasic como principal novidade no onze titular. Por seu turno, Solskjaer manteve o onze quase intacto ao do jogo com o Newcastle, alterando apenas Fred e McTominay por Sancho e Matic, promovendo uma alteração tática na equipa.

A partida começou morna, com poucas oportunidades de perigo flagrantes. O West Ham começou mais perigoso, quando, aos 17 minutos, protagonizou a primeira oportunidade flagrante da partida. Maguire perdeu a bola junto à linha de fundo e Bowen aproveitou para conduzir e rematar à baliza de De Gea, com o remate a não entrar devido ao corte providencial de Varane. Logo de seguida, numa bola a pingar na área, Vlasic remata para grande defesa do guardião espanhol.
O United respondeu aos 29 minutos. Após um canto, Bruno Fernandes rematou de primeira para grande defesa de Fabianski para o poste.

O jogo aquecia e, no minuto seguinte, uma jogada a começar da direita viu a bola chegar a Said Benrahma à entrada da grande área. O jogador argelino rematou em direção à baliza dos Red Devils, no entanto, bateu em Varane e traiu por completo De Gea.

A resposta não tardaria. Numa jogada de insistência, a ligação Bruno Fernandes-Cristiano Ronaldo voltou a funcionar às mil maravilhas. Bruno Fernandes efetuou um cruzamento preciso que parou nos pés de Ronaldo que, depois de ver o primeiro remate defendido por Fabianski, não falhou a recarga, empatando assim a partida.

A primeira parte acabou como começou, com menos oportunidades. A segunda, contudo, teria emoção “para dar e vender”.

Aos 47 minutos, um mau passe de Coufal viu a bola parar em Bruno Fernandes que voltou a servir Ronaldo, valendo a rápida mancha do guardião polaco do West Ham. A resposta veio aos 51 minutos, com Fornals a disparar ao lado. Com o jogo mais parado e disputado a meio-campo, Solskjaer decidiu trocar Greenwood e Pogba por Lingard e Sancho. Logo de seguida, aos 77 minutos, apareceu a primeira polémica do encontro. Cristiano Ronaldo e Coufal chocam dentro de área mas, após análise do VAR, o juíz Martin Atkinson decidiu que não havia razão para grande penalidade.

Com o jogo a caminhar para o fim, parecia que o empate seria o resultado final. Eis que aparece Jesse Lingard. O jogador, que esteve meia época emprestado ao West Ham, desferiu um remate com potência e colocação que só parou no fundo das redes. Devido ao seu passado no clube, não festejou o golo que dava a vantagem ao Man United.

Aos 92 minutos, Cristiano Ronaldo cai na área novamente, com Martin Atkinson a mandar seguir. No minuto seguinte, um cruzamento embate no braço de Luke Shaw dentro da área. Após rever o lance, o juíz assinala, no último minuto, uma grande penalidade para o West Ham.
David Moyes decide colocar o histórico Mark Noble para assumir a grande penalidade. Com a responsabilidade de segurar a vantagem e, consequentemente, dois pontos, David De Gea não vacilou e defendeu o remate de Noble, acabando assim com um jogo que começou morno e terminou a ferver!

Nesta partida, os homens do jogo serão Jesse Lingard, pelo grande golo marcado e pela resposta dada depois do erro que levou à derrota frente ao Young Boys na terça-feira, e David De Gea, por, cinco anos depois, voltar a defender uma grande penalidade, que tanta importância poderá ter nas contas do campeonato. O melhor em campo, contudo, foi Bruno Fernandes, pela capacidade que teve durante todo o jogo de ser o elemento mais preponderante no capítulo ofensivo do Manchester United. Do lado do West Ham, Jarrod Bowen foi o elemento que mais esteve em campo, com nota positiva para o setor defensivo que soube, até quase ao fim, aguentar a pressão da equipa visitante. Contudo, é questionável a decisão de David Moyes de colocar um jogador no último minuto para assumir tamanha responsabilidade, uma vez que a falta de ritmo da partida pode levar a uma grande pressão num momento tão crucial (veja-se o exemplo de Rashford e Sancho na final do Campeonato da Europa).

Assim, o Manchester United acaba a jornada com 13 pontos e o primeiro lugar a par do Liverpool e, em caso de vitória, do Chelsea. O West Ham continua em oitavo, com oito pontos somados, tal como o Brentford.

 

Fonte da imagem: Twitter oficial do Manchester United – @ManUtd