FC Porto cumpre e vence tranquilamente Sintrense por 5-0

Em jogo a contar para a terceira pré-eliminatória da Taça de Portugal, os dragões golearam o modesto Sintrense, do quarto escalão, em Massamá, casa emprestada para esta partida. Seriedade, respeito pelo adversário e muita festa foram os principais ingredientes para um início de noite animado e sem sobressaltos para os azuis e brancos.

Onze do Sintrense: Diogo Garrido, Martim Fonseca, Gabriel Castro, Tahar El Khalej, António Neves, Filipe Cascão, Flávio Cristóvão, Danilson Tavares, David Teles, Luís Mota e Hélio Varela

Onze do FC Porto: Marchesín, Manafá, Fábio Cardoso, Marcano, Wendell, Bruno Costa, Sérgio Oliveira, Otávio, Pepê, Francisco Conceição e Evanílson

Apesar de ter promovido alguma rotatividade em alguns setores da equipa como a baliza ou o ataque, no geral, Sérgio Conceição apresentou um onze com jogadores que já somaram bastantes minutos esta temporada, prova da seriedade com que encarou este encontro para evitar surpresas. Já a equipa da casa, comandada por Hugo Falcão, como seria de esperar, optou por jogar num bloco baixo composto por cinco defesas e onde o jogo ofensivo foi praticamente uma miragem durante grande parte dos noventa minutos.

Em termos tácticos, Otávio tinha grande protagonismo na dinâmica dos dragões, quer a defender, quando se juntava a Evanílson para fazer a primeira linha de pressão alta, quer no processo ofensivo, como terceiro médio que acrescentava uma linha de passe e que dava superioridade no meio-campo.  Aos 14´ a a pressão alta dos forasteiros deu os primeiros frutos com Chico Conceição a intercetar passe de um central do Sintrense já dentro da área mas a atrapalhar-se na altura do remate e a só conseguir um remate de ressaca de calcanhar, defendido facilmente pelo guarda-redes Diogo Garrido. Dois minutos depois, Sérgio Oliveira recebeu a bola no meio e com espaço para atirar não pediu licença e fez um golaço para inaugurar o marcador no Estádio do Real Sport Clube.

Só dava azul e branco face a uma apatia sintrense e perto da meia hora de jogo surgiu o segundo golo portista. A pressão alta voltou a dar resultado e depois de uma recuperação de bola no último terço do adversário, Francisco Conceição ficou na cara do golo mas rematou para a defesa do guarda-redes que depois não conseguiu parar a recarga de Sérgio Oliveira. Bis na partida para o médio português num jogo que ficava praticamente decidido ainda antes do fim dos primeiros 45 minutos.

Na segunda parte o Sintrense entrou mais solto, sem nada a perder, o que aumentou o volume de ataque da equipa mas que proporcionalmente também aumentou o espaço nas costas para os atacantes portistas explorarem. Apesar disso, a primeira oportunidade do segundo tempo foi mesmo para os dragões, com Diogo Garrido a ser chamado a intervir para evitar que um corte de Tahar entrasse na própria baliza. Sentia-se que o terceiro golo estava perto e aos 55´ aconteceu mesmo: Sérgio Oliveira voltou a abrir o livro e fez um passe em profundidade a isolar Evanílson, que finalizou com frieza e ampliou ainda mais a vantagem portista.

O quarto golo surgiria perto dos setenta minutos depois de uma grande confusão na área, com Evanílson a bisar á terceira tentativa depois de os dois primeiros remates terem sido defendidos por Garrido, que teve uma noite ingrata na baliza do Sintrense. O desgaste da equipa do campeonato de Portugal abriu caminho ao descalabro na segunda parte e rapidamente chegou o quinto pelo pé de Toni Martinez, recém entrado que rematou forte após um amortecimento de cabeça de Chico Conceição a um cruzamento de Fábio Vieira.

No meio de uma exibição segura, destaque para talvez o único ponto negativo da noite para os azuis e brancos, já que Wendell saiu com queixas, ficando em dúvida para a partida de terça-feira contra o Milan. Aos 88 minutos Danilson Tavares fez o primeiro remate da equipa da casa em todo o jogo, que acabaria mesmo com 5-0 no marcador e que carimbou a passagem do Porto para a próxima eliminatória da Taça de Portugal.

Fonte da imagem de capa: Agência Lusa