Benfica vence em Vizela com um golo no último minuto

Em jogo a contar para a nona jornada da Liga Bwin, o SL Benfica passou de forma muito sofrida em Vizela com uma vitória magra por 1-0, graças a um golo marcado por Rafa aos 98´.

Onze inicial do Benfica: Vlachodimos, Grimaldo, Otamendi, Vertonghen, Lucas Veríssimo, Diogo Gonçalves, Weigl, João Mário, Rafa, Darwin e Yaremchuk

Onze inicial do Vizela: Charles, Kiki Afonso, Ivanildo, Aidara, Igor Julião, Claudemir, Marcos Paulo, Nuno Moreira, Samu, Alex Méndez e Guilherme Schettine

O Benfica apresentou-se esta tarde em Vizela pressionado a vencer para manter a liderança isolada do campeonato, depois das vitórias dos perseguidores diretos FC Porto e Sporting CP no dia de ontem. Para isso, Jorge Jesus promoveu apenas uma alteração em relação à equipa que perdeu por quatro bolas a zero com o Bayern de Munique a meio da semana, com Diogo Gonçalves a render o lesionado André Almeida. Já a equipa vizelense, que contou com um apoio incansável dos seus adeptos do primeiro ao último minuto, não pôde contar com os habituais titulares Koffi e Cassiano por castigo e lesão, respetivamente.

A primeira parte começou com vários ataques para cada lado, sendo que, aos nove minutos, João Mário colocou a bola entrelinhas para Yaremchuck, que colocou Darwin na cara de Charles mas o uruguaio desviou a bola do guarda-redes mas também da baliza, passando o perigo. Na jogada seguinte, foi a vez dos vizelenses de avançar no terreno e pressionar os encarnados assim que perdia a bola com Schettine a atrapalhar Vlachodimos, que aliviou contra o brasileiro com a bola a sobrar para Samu, que isolado atirou para defesa do grego que se redimiu e fez bem a mancha.

Foram uns 45 minutos muito bons da equipa da casa que a defender optava por um bloco médio-baixo com linhas muito juntas e que quando saía para o ataque fazia-o com critério com o trio criativo composto por Samu, Mendez e Nuno Moreira a serem responsáveis por dar velocidade ao jogo a fazer combinações para chegar rapidamente à área adversária.

Do lado dos encarnados, cedo se percebeu que este seria um jogo ingrato para Darwin pois a disposição do Vizela pedia um tipo de funções ao avançado que não se adequam aos seus pontos forte. Sendo um jogador mais de profundidade, para explorar as costas do adversário, a necessidade do Benfica de desmontar de forma organizada as linhas adversárias pedia alguém que combinasse com Grimaldo e aparecesse na ala mais para cruzar do que finalizar.

Foi só depois da meia que hora que os primeiros remates encarnados surgiram, primeiro com Rafa a cruzar para um desvio de um defesa diretamente para Diogo Gonçalves, que fez um remate em volley de ressaca para uma grande defesa de Charles e depois com um cabeceamento de Yaremchuk ao lado na jogada seguinte. Apesar de uma segunda metade da primeira parte mais discreta ofensivamente por parte do Vizela, mesmo assim, Samu primeiro, e Alex Mendez de longe perto do intervalo, ainda aqueceram as mãos a Odysseas.

A segunda parte foi quase sempre um espelho da primeira com as duas equipas a tentar marcar primeiro mas sem o conseguir fazer. Aos 51´ Darwin esteve perto mas a sua cabeçada após um cruzamento de Diogo Gonçalves foi defendida de forma monumental de Charles enquanto que do, outro lado, na sequência de um lançamento, Mendez  rematou á meia volta com a bola a não passar longe da baliza dos encarnados.

A incapacidade dos líderes de aproveitar lances de bola parada contrastava com o crescimento vizelense na partida e aos 65´esteve mesmo perto de inaugurar o marcador. Depois de recuperar a bola em zona avançada, Samu fez um passe tenso em profundidade para Schettine que sentou um adversário antes de passar para Nuno Moreira que já dentro de área podia ter marcado mas rematou contra Lucas Veríssimo, que apareceu in extremis a evitar o golo.

Aos 70 minutos, Jorge Jesus decidiu tirar os dois laterais e colocar Radonjic e Everton a fazer a posição de alas numa escolha arriscada mas que dado o rumo dos acontecimentos foi a acertada para tentar explorar os espaços deixados pelo adversário após saírem para o ataque. Os últimos 20 minutos não trouxeram nada de novo com o jogo a ficar muito amarrado com exceção a um remate do sérvio para mais uma defesa do guarda-redes Charles e a uma bomba de Zag do meio da rua ao lado da baliza das águias, já para lá dos 90´.

Quando já se pensava que o resultado não iria sofrer qualquer alteração, Radonjic aproveitou a escorregadela de um defesa da casa, abriu para Pizzi que cruzou rasteiro para o coração da área onde Rafa, no último dos sete minutos de compensação dado pelo árbitro, encostou para o golo que daria uma vitória caída do céu aos encarnados. Com este triunfo sofrido, as águias conseguem manter a liderança da Bwin Liga com 24 pontos, mais um que Sporting e Porto, segundos classificados.

 

Fonte da Imagem de Capa: Site Oficial do Sport Lisboa e Benfica